Quinta-feira, 20 de Setembro de 2012

Novecentos anos

 

 

 

Sartre dizia :

 

"O povo é aquilo

que fizerem dele..."

 

Mas o povo que saíu à rua

E encheu as cidades

Num protesto imenso

Contra a austeridade,

Mostrou quanto sofria

E não foi movido por outros,

Mas por ele próprio.

 

Não havia nada por detrás desse povo

Era o povo real que tem sido humilhado

E esquecido neste Portugal.

 

O povo saíu à rua por vontade própria

E isso marcou e mostrou

Que o povo não é banal.

 

Cuidado, o Povo mudou

O Povo acordou

O povo sabe

Que tem sido esquecido

E alvitado

Nada pode transformar

o mal que lhe foi dado.

 

O Povo desceu à Cidade...

 

O povo não é banal!

 

O povo sabe

O que se passa nos bastidores

De cortinas cerradas.

 

Ele sabe

E mostrou que sabe!

 

Maria Luísa

 

 

p.s. o texto anterior desapareceu,

fica um outro texto que talvez

diga mais do que o primeiro.

 

 

 

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 11:57
link do post | favorito
De poetazarolho a 20 de Setembro de 2012 às 21:28
“Fado da TSU”

Vive numa rua cinzenta
É prima da austeridade
Aquela taxa violenta
E cheia de ambiguidade

Os ministros justificam
O porquê desta medida
Que agora simplificam
Mas é uma causa perdida

Ai taxa tu que és social
Não nos leves o sustento
Escuta a maioria na rua

O povo está a passar mal
Pode tornar-se violento
E não é por culpa sua.

Prof Eta
De Maria João Brito de Sousa a 20 de Setembro de 2012 às 22:55
Eu, consciente do perigo,
Auscultando "ambiguidades",
Fui espreitar um outro amigo,
Fui ver das suas vontades...

Quanto à taxa... nada digo...
Só sei falar das verdades
Quando entendê-las consigo
E esta só me fez maldades...

Tenho abundante auto-estima,
Não sou nenhuma menina,
Nem tampouco iluminada...

Tudo se aprende e se ensina
Mas, na balbúrdia assassina,
Não consigo aprender nada!


Aí vai, Poeta, o que me saiu sem nenhuma ambiguidade...

Abraço grande!
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001