Sábado, 11 de Junho de 2011

(Teatro II) Fogo Ardente

 

 

 

 

 

 

 Narrador :

 

 

Meus olhos fixam o palco

Os personagens olham

Meu amor me beija,

Eu estremeço

Tudo estremece

Todos se desejam.

 

Os Deuses deslumbrados

Com o amor dos gatos,

O desejo dos humanos,

O arrepio da noite

Interrogam os astros.                                                                                                                          

                                                                                                                                   

 

Que se passa?

 

E no palco os personagens

Formam arabescos

Com seus corpos

Dançam uma dança

De amor e desejo.

 

Que se passa?

Pergunta a lua a quem passa.

 

Os personagens não falam,

Apenas se ouvem movimentos

Como se a terra se deslocasse

E se juntasse ao êxtase

Do momento abstrato.

 

Vamos mandar o arco-íris

A iluminar o espaço

Precisamos de olhar

Reconhecer e ver

Como se sabe amar.

 

E os quatro personagens,

O gato-branco

A gata-preta

Eu e meu amor,

No vasto chão amamos.

 

Tudo esquecemos

No momento profano

No instante de Fogo Ardente

E a fuga súbita

Da Estrela Cadente.

 

Maria luísa

 

 

...Seguir...

 

publicado por M.Luísa Adães às 15:22
link do post | comentar | favorito
41 comentários:
De Anónimo a 16 de Junho de 2011 às 17:51
Comentário apagado.
De M.Luísa Adães a 16 de Junho de 2011 às 17:53
Ressalvo "que" ...

Mª. L.
De Maria João Brito de Sousa a 16 de Junho de 2011 às 17:55
Não ligues aos disparates que dizem sobre ti! Agora tenho de ir... isto já encerrou! amanhã volto!
De M.Luísa Adães a 16 de Junho de 2011 às 18:09
Não liguei, mas fixei e o desprezei. Nunca soube quem era!

Mas parece que não leste o princípio do texto!

Mª. L.

Comentar post


Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001