Domingo, 5 de Setembro de 2010

FLORBELA ESPANCA

             

 

 

 Florbela Espanca, nasceu em Vila Viçosa a 8 de Dezembro de 1894.

 

Filha ilegitima de uma "criada", falecida muito nova (29 anos),

foi registada como filha de "pai incógnito" o que a marcou profundamente.

 

Educada pelo pai, João Maria Espanca e pela madrasta Mariana, tal como seu irmão,

Aples Espanca, nascido em 1897 e registado da mesma forma.

 

O pai sempre a acompanhou, mas só passados 19 anos da morte da poetisa

a perfilhou, por altura da inauguração de seu busto em Évora.

 

Estudou em Évora, mais tarde em Lisboa, na Faculdade de Direito e colaborou

na Revista Seara nova.

 

Três casamentos falhados, e a morte do irmão Aples Espanca

(a quem a ligavam fortes laços afectivos), num acidente com o avião

sobre o Tejo em 1927, marcou profundamente a sua obra e a sua vida.

 

Em Dezembro de 1930, agravados os problemas de saúde, sobretudo de

ordem psicológica, Florbela Espanca morre em Matozinhos.

 

Com a sua personalidade de uma riqueza interior excepcional escreveu seus versos

de uma forma ardente revelando erotismo feminino transcendido, pondo a nu

a intimidade de mulher, dando novos rumos à consciência literária nascida de

vivências femininas.

 

O sofrimento, a solidão, o desencanto, aliados a um desejo de felicidade e plenitude

só alcançáveis no Absoluto, no Infinito, constituem a veemência passional da

sua forma de dizer.

 

Só depois da morte é que a poetisa viria a ser conhecida do Grande Público, através

de Guido Batelli, com Charneca em Flor (1930).

Vacilando entre a moral e o preconceito da época, a beleza da sua poesia recebeu incompreensão

em vida e manipulação em morte, durante 40 anos.

 

Não se coloca como observadora distante, ela está dentro do poema, sempre!

 

Com ou sem escandalos; com ou sem histórias, perdas dolorosas, incompreensão constante

na sua vida, o que fica é a Voz Poética da "alma gémea " de Fernando Pessoa,

autêntica, feminina e pungente quando diz:

 

 

Eu quero amar, amar perdidamente!

Amar só por amar : Aqui ... além ...

Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente ...

Amar ! Amar ! E não amar ninguém !

 

Recordar ? Esquecer ? Indiferente !...

Prender ou desprender ? É mal ? É bem ?

Quem disser que se pode amar alguém

Durante a vida inteira é porque mente !

 

Há uma Primavera em cada vida :

É preciso cantá-la assim florida,

Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar !

 

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada

Que seja a minha noite uma alvorada,

Que me saiba perder ... pra me encontrar ...

  

 

Florbela Espanca

 

 

Nasceu na época errada? A isso não sei responder! Cole e leve uma estrelinha pro seu blog

 

(breve análise)

 

Maria Luísa Adães

 

http://ocantinhopoetico.blogspot.com 

     

 Oferta ao blogs: http://os7degraus.blogspot.com  

publicado por M.Luísa Adães às 11:53
link do post | comentar | favorito
33 comentários:
De M.Luísa Adães a 7 de Setembro de 2010 às 18:53
Florbela Espanca não sabia

Mas acredita,

Ela pressentia!

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 7 de Setembro de 2010 às 22:18

acredito sim

só que os nefastos sem compreender
matam-nos quase ao nascer...

beijinhos Luisa
a melhor das noites pra ti
de preferencia sem sonhos...

se sonhares
tens 5 segundos para recordar
e assim parte do sonho ficar
ao acordar...

De M.Luísa Adães a 8 de Setembro de 2010 às 05:50
Beites

Uma noite sem sono. Acordei e te encontrei,
mas não sonhei...
Não tive tempo suficiente para sonhar.

Beijos e até hoje,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 8 de Setembro de 2010 às 18:08
sonhas
mas ao acordar
não te lembras...

tambem é um problema menos pra ti...

e já comi umas sardinhas...bem regadinhas

xoxos pa ti
De M.Luísa Adães a 8 de Setembro de 2010 às 19:05
Jabei

Mas eu não sonhei porque não dormi -

então não houve dormir,

não vieram sonhos, pois estive acordada!

Interpretaste mal. Se eu não dormi, como podia sonhar e no outro dia não lembrar?

Isso em circunstâncias normais,

mas as circuntâncias eram anormais,

não tive problemas com os sonhos, "mas tive
problemas, por não dormir".

Fiz-me entender?

E se me falas das sardinhas, no meu regresso, não te vou visitar!

E regadinhas com que vinho? Olha, eu percebo de vinhos e das respectivas marcas.

Diz o nome do vinho!

Beijo e uma boa noite e podes desejar-me o mesmo, eu fico agradecida.

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 8 de Setembro de 2010 às 21:30
pitucha
Hiperpneia é um estado
desencontrado
e alem de mais
até me feres a veia vinhateira
pois por aqui
há pingas que só quem sabe
encontrá-las em si...hé hé hé

tens que vir uns meses descobrir a terra
dos que desbravaram o mundo...

mas não num dia...

beijinhos boas férias e fé em nós

ainda existem batatas
imaginas ?
que sabem e se comem com

são delícias ...

e não comi as sardinhas que deveria
só 3
porque uns alarves chegam e depois
mais aqueles e outros
enfim...

beijinhos
De M.Luísa Adães a 9 de Setembro de 2010 às 11:54
Então é terra importante e de fama que não foi criada num instante.

Tomo um rumo diferente e mando pousar o avião, nessa terra de gente.

Hoje prometo, mas não sei se o avião tem paragens e me parece que não!

Agradeço essas boas notícias de alegrias e
tanto precisamos delas.
Eu te espero nos Sete Degraus!

Beijo,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 9 de Setembro de 2010 às 14:17

o meu A R 3F
pousaria onde fosse
enfim...

bons voos Pirata...hé hé hé

jocas daqui

De M.Luísa Adães a 9 de Setembro de 2010 às 18:29
O teu avião pararia onde tu quisesses.

Que bom! Mas me parece que um dia te traíu!

Como o avião de Aples Espanca ao caír no Rio
Tejo.

O meu, eu peço ajuda Divina e espero ser
ouvida. Tenho, sempre, essa esperança.
É uma viagem de "Alto Risco" como todas as
viagens, por aqui ou por ali.

Mas diz-me, como te traíu o teu AR3F ?

Beijos,
e obrigada por te encontrar no meu poema
"Esquecida..." no:

http://os7degraus.blogspot.com

Maria Luísa
De jabeiteslp a 9 de Setembro de 2010 às 20:31

não traiu
só do papel não saiu
foi anajisado o meu projecto na UBI
Universidade da Beira Interior

só que
era necessári muita nota
e pasta sabes como é
dá pra tudo e algo mais
e como compramos tudo feito
enfim...

era para pessoas com carta de condução
automóvel...

bons voos
e feliz a cada momento
beijinhos
De M.Luísa Adães a 10 de Setembro de 2010 às 10:09
Joca

Tu és modesto a falar de ti. Já tinha reparado nisso!

Bºs. Mª. Luísa
De jabeiteslp a 10 de Setembro de 2010 às 11:25

morreram-me os sonhos há muito

imaginas 16 anos
agarrado ao projecto do AR 3f ?

muita desilusão
muita dor
expectativas
dinheiro gasto em vão...enfim

pelo menos
já não tenho tanta dor de cabeça...

beijinho Luisa
bom fim de semana
De M.Luísa Adães a 11 de Setembro de 2010 às 18:20
Jabei

Mas foi uma pena! Porque correu tão mal?
Eu penso que devias ter um patrocinador que
apoiasse o projecto e disposto a investir nele.
Isso, por azar teu, não encontraste.

Lamento muito essa tua enorme decepção.

Eu sabia que por baixo dessa alegria com sardinhas e bons vinhos, da descontracção com que escreves, vivia um desgosto que te deu trabalhos e canseiras e que morreu.

Nem tenho palavras para te dizer como lamento!

Beijos,

M. Luísa
De jabeiteslp a 11 de Setembro de 2010 às 18:52

nem imaginas...

feliz dia pra ti

segunda feira vou trabalhar
2 semanas em Trancoso
como não sei como será
até lá...

beijinhos
De M.Luísa Adães a 12 de Setembro de 2010 às 09:55
Obrigada pela flor azul.

Se vais trabalhar é bom sinal, penso eu que
nada sei!

Ficamos sem a tua presença duas semanas.

Bom trabalho e felicidades,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 12 de Setembro de 2010 às 14:53

espero haver um sinal livre por lá
porque doutra forma
vamos ver o que dá...

do melhor pra ti
beijinhos
De M.Luísa Adães a 13 de Setembro de 2010 às 11:16

E para ti também - o - melhor!

Espero a tua volta!

Beijo,

Mª. Luísa

Comentar post


Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001