Domingo, 20 de Junho de 2010

Maria Luísa / Junho de 2010/ VIVER/ Poema/ prosa-poética

 

 

 

 

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 17:28
link do post | comentar | favorito
23 comentários:
De jabeiteslp a 20 de Junho de 2010 às 22:01

há que repor forças
e como dizem os Brasileiros

"deixa a tristeza prá lá"

beijinhos
feliz noite
que a ansiedade não consuma
De M.Luísa Adães a 21 de Junho de 2010 às 12:46
Anjo

Sábio conselho, reconheço.

Neste instante impossível. Não nasci para
este tipo de vida, mas tenho de aceitar.

Com ternura, meu amigo,

Maria Luísa
De jabeiteslp a 21 de Junho de 2010 às 17:42

ânimo..
De M.Luísa Adães a 21 de Junho de 2010 às 17:55
Anjo

Obrigada por teu carinho.

Beijos,

maria Luísa
De M.Luísa Adães a 21 de Junho de 2010 às 18:34
João

Já chegaram a São Paulo e me telefonaram.

A viagem correu bem! Que Deus os proteja e
nos proteja a nós também (te incluo).

Um abraço,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 21 de Junho de 2010 às 20:29
S. Paulo
terra bonita...

e é sempre uma aventura
esta nossa de assim ser
de assim viver...





De M.Luísa Adães a 22 de Junho de 2010 às 12:03
João

Considero SP uma,

"Mulher Feia, mas Interessante"

e por carinho lhe chamamos "Sampa ou Terra
da Garroa".

Vou lá todos os anos e de lá, aos poucos, vou
percorrendo o Brasil.

Tenho estado em lugares de encanto.

Neste momento, troquei minhas viagens à
volta do mundo, por um Continente imenso,
América do Sul, em especial - Brasil -
minha segunda Pátria.

Minha neta nasceu no coração da Cidade de
SP. Meu filho nasceu em Lisboa, meu marido
também e eu passei a maior parte da minha vida em Lisboa e continuo a passar.
Às vezes, vou a Sampa por 20 dias, outras vezes mais tempo, bastante mais quando vou
sem companhia.

Eis a minha história presente.

Beijo,

Mª. Luísa

De jabeiteslp a 22 de Junho de 2010 às 12:46

eu nunca fui ao brasil
mas a minha filha sim
e tal como te disse

gostou muito embora a visita
não fosse só de viagem
era tambem trabalho para o Doutoramento...

grandes novidades
que quando levamtam voo
saudades nossas...

beijinhos e feliz dia
De M.Luísa Adães a 22 de Junho de 2010 às 15:41
João

Parabéns pela tua filha!

Um abraço,

Mª. Luísa
De M.Luísa Adães a 12 de Julho de 2010 às 10:24
João

Vou fazer uma tentativa quanto ao vídeo,
pois é nespe post que deve ficar.
NÃO RESULTOU!

Mas o endº. do video que colocaste na "Prece com a vela" deve ficar

no post Maria Luisa/ Junho de 2010.

Podes fazer aqui o trabalho que fizeste na vela?

Fica em dois lugares, se não for possível tirar
do outro.
Se for possíve, faz a mudança para o post

Maria Luísa/Junho de 2010. Fazes esse favor?
Eu não sei!... O Endº. do video está a funcionar na "Vela" peço a mudança para o post referido acima (é nesse post que está a foto).

Obrigada,

Bºs, M. L.
De Maria João Brito de Sousa a 22 de Junho de 2010 às 16:36
Entendi que o teu filho voltou para o Brasil. Estou certa?
Um grande abraço, amiga e muita coragem. Ele vai voltar para o ano, vais ver! Começa já a preparar-te emocionalmente para a próxima visita e vais ver como ganhas cor e alegria!
De M.Luísa Adães a 22 de Junho de 2010 às 17:02
Mª. João

Boa intuição. O Eduardo voltou para São Paulo, com a mulher e a filha.

A vida dele´se transformou para muito melhor.

Estou agradecida pela graça concedida.

Não devia chorar,
mas choro por fraqueza humana.

O Brasil reconheceu nele o valor, que Portugal
nunca reconheceu.

Devia cantar e dançar,...
O Milagre se deu.

Mas sou fraca e nostálgica
por natureza
e pela própria vida.

E eu fiquei com o meu querido marido,
mas como sou trágica por natureza
me sinto muito só
e não sei, como ultrapassar a solidão.

Devo pensar nos outros
menos afortunados,
mas que queres
só penso nos afortunados
que têm um clã à volta deles.

Ingrata eu sou para quem tudo me deu,
Reconheço a minha culpa
não sei se tenho perdão.

Vou morrer um dia,
talvez cedo
e tão pouco sou
e tão pouco sei.

Obrigada por vires a este lugar mais íntimo,
sem eu te pedir.

Grata te estou e me lembro de nosso amigo
Eduardo que gostava de nós e se afastou.

Em breve, isso me vai acontecer!

Obrigada,

Maria luísa
De Maria João Brito de Sousa a 23 de Junho de 2010 às 15:10
O nosso amigo Eduardo ainda anda por aí... de vez em quando envia-me uma mensagem a partir do Facebook - eu não consigo gostar nadinha do FacebooK!!! - e eu lá lhe vou respondendo. Tu, como a grande maioria dos poetas, és trágica por natureza... mas não sintas que vais desaparecer em breve... imagina-te a escrever sempre, mais e mais. Imagina que estás a ser útil - e estás! - quando publicas, que a tua poesia vai ficar para a posteridade... eu acredito que os poetas fazem falta, que o seu trabalho pode ser muito válido, muito meritório e o pior que me vai acontecendo é meter os pés pelas mãos e publicar um soneto repetido, como foi o caso do de ontem... eu acredito mesmo que o meu organismo aprendeu a defender-se do stress e "bloqueia" quando as solicitações são maiores do que aquelas a que o corpo e o espírito podem responder sem pôr em risco o todo.
Imagina que, durante o fim de semana, entrei no café com o computador debaixo do braço e a cabeça cheínha de versos por escrever. Assim que vi uma mesa que me pareceu vazia, sentei-me e comecei a trabalhar quando, de repente, descobri que estava um senhor sentado na mesa. Devo ter ficado branca! O senhor já lá estava quando eu cheguei e eu nem o vi!!! Fiquei terrivelmente atrapalhada e pedi desculpas, mas a asneira ficou feita... e há milhares de outras pequeninas coisas que também estão a acontecer... hoje não sei o que fiz ao meu cartão de cidadão! Esqueço-me de enviar correspondência importante, etc, etc...
Desculpa! Vim partilhar contigo estes disparates todos... eles acabam sempre por me fazer rir de mim mesma e eu sinto que isso é saudável, sabes? Não posso é abusar muito nem tentar gerir várias coisas em simultâneo porque isso vai sempre, sempre acabar por dar um péssimo resultado.
Abraço grande e muita força!
De Anónimo a 23 de Junho de 2010 às 17:19
Comentário apagado.
De Maria João Brito de Sousa a 24 de Junho de 2010 às 14:48
Caramba, Maria Luísa! Eu acabo de te deixar um comment no prosa-poética a explicar a minha "teoria" da emigração dos bloggers para o Facebook e tu dás-me esta explicação... bem, é possível, mas não entendo como é possível alguém querer "afundar" um companheiro/a da blogosfera! Que haja alguém que tente namoriscar outra pessoa, isso parece-me provável e até deve ser muito comum... mas arruinar um companheiro de viagem, um escritor online? Porquê e para quê? Não digo que não tenhas razão... só acho que nunca me lembrei que uma coisa dessas pudesse acontecer. Mas eu sou mesmo muito distraída e tendo logo a analisar as coisas de um ponto de vista mais generalista, como uma tendência natural da escrita e da comunicação online... acho que tendo mais a analisar os fenómenos do que as acções de cada um.
Abraço grande, amiga.
PS - Hoje estou sem soneto porque me esqueci de o escrever, vê lá tu... pode ser que ainda me nasça algum, mas duvido porque tenho muitos emails por abrir e ainda nem fui à outra conta.
De Anónimo a 24 de Junho de 2010 às 16:31
Comentário apagado.
De Maria João Brito de Sousa a 24 de Junho de 2010 às 17:08
Pronto, amiga! Eu não pus em causa o que disseste! De maneira nenhuma! Mas custa-me a entender... claro que sei que é perigoso publicar retratos de crianças e só publiquei retratos de crianças que agora já são adultos há muito tempo, mas continuo a ter dificuldade em aceitar que este mundo seja assim tão mauzinho... estou a dizer-te a verdade, mas claro que acredito em ti! Eu sei que vivo muito alheada de certas coisas, que tendo a aceitar as pessoas exactamente como elas se me apresesentam e um milhão de coisas mais... a vida já tem tantos obstáculos que me custa entender que algumas pessoas criem ainda mais obstáculos assim, sem objectivos de construção. É triste. Muito triste.
Abraço grande.
De M.Luísa Adães a 24 de Junho de 2010 às 19:12
Mª. João

Mas acredita nesta verdade. A mim já não me faz confusão. O mundo virtual é o mundo
real - inserido nesta pequena caixa.

É um milagre da tecnologia, mas temos de ter cuidados e muitos.

No mundo real é a mesma coisa. temos de ter cuidados e muitos.

Não há culpados visiveis, mas há vitimas.

Vamos estar atentos!

Cuidado com essa dor de cabeça.

Eu escrevi uns conselhos para ti no teu blogs
do google.
Quando possível, vai ler!

Um abraço,

M. Luísa
De Maria João Brito de Sousa a 25 de Junho de 2010 às 11:26
Obrigada, amiga! Vou tentar ir lá ainda hoje!
Abraço gde!
De M.Luísa Adães a 25 de Junho de 2010 às 15:34
M. João

Só vais ao google se te apetecer.
Eu aconselho ires para casa e descansar.

As melhoras,

M. Luísa
De M.Luísa Adães a 25 de Junho de 2010 às 16:40
Mª. João

As tuas distrações, são fruto do muito que exiges à tua saúde frágil.

Cuidado!

M. Luísa
De Maria João Brito de Sousa a 28 de Junho de 2010 às 17:19
Talvez... mas, apesar das dores de cabeça, escrevi sem parar durante todo o fim de semana. Fiquei exausta, mas contente porque não trabalhava com tanta inspiração há já muito tempo. Hoje fui a Lisboa e amanhã devo estar "toda partida". É sempre assim quando tenho de andar de transportes. Tenho uma série de medicamentos e, desta vez, também um anti-alérgico. O médico acredita que esta dor de cabeça possa ter uma componente alérgica, para além da infecção que é inegável.
Abraço gde!
De M.Luísa Adães a 29 de Junho de 2010 às 11:42
Mª. João

Deus te deu forças, sensibilidade e o dom de escrever, como recompensa e compensação ,
para a tua fragilidade fisica que não te dá descanso nem Paz.

Mas mesmo doente, te sentiste feliz com essa inspiração. É a tal "lei das compensações" a
que fiz referência no cimo.

Não esqueças que espero "o estar no outro lado"

Bºs, M. Luísa
De luadoceu a 22 de Junho de 2010 às 18:32
Gostei muito de a ver Luisa
Minha menina esta com dentinhos a romper,tem estado cheia de miminhos e precisa
Um mto obrigada pela presença
A viagem correu bem? Sei que me disse estar ausente
De M.Luísa Adães a 22 de Junho de 2010 às 18:48
luadoceu

A viagem correu muito bem. Meu filho e familia ficou em São Paulo, onde residem.

Eu fiquei abalada e triste, como a tua menina de dentinhos a nascer.

Obrigada por gostares de mim. Tenho mais duas fotos abaixo:

uma em Mértola com meu marido,

outra meia clássica, como na realidade, sou!

Repara na de Mértola e vê a diferença.

Beijinhos à pequenina e cuida dos dentinhos
com muita paciência e amor. São as fases de uma vida, quase acabada de nascer.

Tenho uma neta de dois anos e meio de
nacionalidade brasileira.

Obrigada pelo cuidado,

Maria Luísa

Comentar post


Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001