Sexta-feira, 5 de Outubro de 2012

Prémio para mis amigos/ Sor. Cecilia Codina Masachs

 

 

 

 

Regalo de Josep

 

 

Prémio de Sor Cecilia Codina Masachs ao blogs ,

 

http://os7degraus.blogspot.com

 

publicado por M.Luísa Adães às 15:38
link do post | comentar | favorito
|
76 comentários:
De jabeiteslp a 5 de Outubro de 2012 às 17:32
De uma grande
a outra grande Senhora...olá

feliz fim de semana Luisa
De M. Luísa a 6 de Outubro de 2012 às 12:29
Jabei,

Lindo teu comments. Adorei!

M. Luísa
De poetazarolho a 5 de Outubro de 2012 às 21:02
“Estrela maior”

Agora és a estrela maior
Deste nosso firmamento
Antes nada o faria supor
Foi grande o sofrimento

Agora descansas em paz
Não s’escolhe o momento
Também não se volta atrás
Nessa hora do julgamento

Nunca desistimos de ti
Continuarás no coração
Destes amigos de verdade

Que por ora ficam aqui
Mas um dia seguirão
Teu trilho na eternidade.
De M. Luísa a 6 de Outubro de 2012 às 12:17
Que se passa?
Diz a Lua a quem passa...

M. Luísa
De M.Luísa Adães a 7 de Outubro de 2012 às 12:31
Partiu?...
É sempre tão difícil a partida de alguém
e ficamos mais pobres. Lamento!

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 5 de Outubro de 2012 às 23:28
Que enigmático, Poeta!
Ainda por cá vou estando
E enquanto a vida o prometa,
Continuarei poetando...

Sei que não estou muito bem
Mas farei por não partir
Porque a vida me convém
Enquanto eu souber sorrir...

Posso estar muito enganada
E morrer já de seguida,
Mas, isso, não quero nada!

Sei que tenho que fazer
E gosto demais da vida
Pr`a deixar de a querer viver...

Abraço grande, Poeta!
De poetaporkedeusker a 5 de Outubro de 2012 às 23:39
Muito, muito bonito, o prémio que recebeste de Sor Cecilia, Maria Luísa!

Abraço grande, amiga!
De M. Luísa a 6 de Outubro de 2012 às 12:25
Também gostei muito!
Ela foi para a Argentina, não sei se para ficar, mas me parece que são mudados de País, muitas vezes. Perderam a liberdade...mas ela gosta e foi para o convento com quarenta anos
e tem 60. Diz estar feliz! Coloquei o translater por ela, pois tinha muita dificuldade em me perceber. Ficou muito contente!

Gostei de te encontrar, mas tu sabes, quando quiseres parar, paras!
E o Pedro o mesmo!

Abraço, assim que possível vou ao teu "pekenasutopias".

M. Luísa

De poetaporkedeusker a 6 de Outubro de 2012 às 13:30
Ninguém quer parar, amiga... penso que só o farei quando se me acabar, de vez, a "bateria"...
Se a Sor Cecília diz estar feliz, é porque encontrou a forma ideal de ser ela mesma... fico contente por ela!
Um imenso abraço!
De poetazarolho a 6 de Outubro de 2012 às 22:22
Parar, jamais!
De M. luísa a 7 de Outubro de 2012 às 12:21
Amigo

Se não paras e é essa a tua vontade...continua!

Bom domingo e beijos para ti e família.
Continuo a esperar por ti!

Maria Luísa
De poetazarolho a 6 de Outubro de 2012 às 07:30
O chá está porreiro.
De M.Luísa a 6 de Outubro de 2012 às 12:27
Good, very good!

Kisses. Mª. L.
De M. Luísa a 6 de Outubro de 2012 às 15:31
O chá está na maior?

Abençoado chá!

M. luísa
De poetazarolho a 6 de Outubro de 2012 às 22:20
“Cheiro a bosta”

O melhor povo do mundo
Tem bandeira ao contrário
Levou um golpe profundo
No seu já parco salário

Alimenta monstro imundo
O nosso público erário
Emana cheiro nauseabundo
Mas este povo temerário

Impedido de participar
Nesta última comemoração
Será eficaz na resposta

Aos que o estão a governar
Por esta inaudita exclusão
Eliminará este cheiro a bosta.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 6 de Outubro de 2012 às 23:17
Esse "primus inter pares"
Está tão farto de calar
Que, se muito bem notares,
Está prestes a rebentar!

O monstro do capital
Com tentáculos macios
Consegue um feito irreal,
Põe-nos de bolsos vazios

Mas, virados do avesso,
Vamos-lhe mostrando o dente,
Já rosnamos, pois então!

Ele que pague o estranho preço
De ser sujo e prepotente!
Nós dir-lhe-emos que NÃO!!!


Abraço grande, Poeta! Estou praticamente sem rede...
De M. Luísa a 7 de Outubro de 2012 às 12:24
O povo e apenas a vontade do povo
Que venha, uma vez mais,
Ao cimo!

M. Luísa
De poetazarolho a 7 de Outubro de 2012 às 07:47
O chá em Portugal.
De M. Luísa a 7 de Outubro de 2012 às 12:26
O chá em Portugal
está cheio de ambiguidades
e não sabe a quem agradar
e não tem quem lhe agrade.

Últimas notícias!

M. Luísa
De poetazarolho a 7 de Outubro de 2012 às 19:57
“Revolução aparente”

Com o povo ausente
Democracia aqui jaz
Este estado é recente
Mas já não volta atrás

Que o povo atrapalha
Foi figurante somente
De toda esta tralha
A revolução aparente

Desta mentira forjada
Com cravos na lapela
Nas espingardas também

Verdade foi metralhada
E o povo viu a esparrela
A revolução já não vem.
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2012 às 00:38
De que há-de vir estou segura!
Com ou sem flores, far-se-á
Opondo-se à ditadura
Com a voz que a razão dá!

Democracia aparente
Pode, em verdade, gerar
A revolução urgente
Que há-de fazer-nos mudar...

Se nos não basta a verdade,
Tarde ou cedo há-de sentir-se,
Bem dura, a realidade

Que nos não dá outra opção
Se não essa, a de insurgir-se
Nosso humano coração!

Abraço grande, Poeta!
De poetazarolho a 8 de Outubro de 2012 às 06:49
O chá cavou.
De poetazarolho a 8 de Outubro de 2012 às 19:02
“Resto zero”

Este povo pá
Vê o abismo pá
Com o governo pá
Da austeridade pá

É bom aluno pá
E até é porreiro pá
Este Portugal pá
Mas p’ra cavar pá

Não sejas piegas pá
Que a troika pá
Veio p’ra sacar pá

Saca o que há pá
E o que não há pá
Nada nos sobrará.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 8 de Outubro de 2012 às 21:39
É pá, o povo, abismado,
Nem sabe como é possível
Tanto furo mal tapado
Por tanta falta de nível!

É pá, não venhas dizer-me
Que esta insolúvel loucura
Está aqui está a prender-me
Nas prisões da ditadura?!?!

Quero que a troika se lixe,
Que embarque e se vá embora,
Que deixe este povo em paz!

Diz-me, pá; não era fixe
Pô-la já daqui pr`a fora?
É que falta... ela não faz!


Abraço grande, Poeta! Vai muito "à letra", mas eu nem estava à espera de conseguir responder...

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001