Segunda-feira, 25 de Junho de 2012

Politica!

 

 

A politica

 

É a habilidade de prever

 

O que vai acontecer amanhã,

Na próxima semana,

No próximo mês,

No próximo ano,

 

E a habilidade de explicar depois

por que razão isso não aconteceu...

 

 

Sir Winston Churchill

 

O orgulho só pode elevar

A uma queda do mais alto...

 

Maria Luísa

 

 

 

 

Oferta do blogs :

 

http://aviagem1.blogspot.com   ao blogs :

 

 http://os7degraus.blogspot.com

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 11:45
link do post | comentar | favorito
|
35 comentários:
De poetazarolho a 25 de Junho de 2012 às 19:17
“Aljubarrota”

O Cristiano marcou
Com ele o país vibrou
A nossa selecção arrasou
Ao próximo jogo eu vou

Vai ser o duelo ibérico
E se ele marca outra vez
Aí vou ficar histérico
Não haverá mais porquês

Viva a nossa selecção
Espanhóis vai empurrar
P’ra fora da competição

Podem utilizar toda a frota
Antiga lição vão lembrar
A da padeira de Aljubarrota.
De M. Luísa a 25 de Junho de 2012 às 19:44
Sempre atento, bom amigo. Agradeço.

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 25 de Junho de 2012 às 20:42
Não lhe sei sequer explicar,
Não sei, Poeta, não sei,
Que não posso nem falar
Do dito desporto-rei..

Eu não sei nada de nada
E julgo ser coisa tola
Ver uns homens à patada
Numa pobre duma bola...

Nem conheço os jogadores!
Estou sempre a leste do jogo,
Nunca sei se o campeão

Está a fingir que tem dores
Quando cai e ficam todos
A vê-lo gemer, no chão...


Foi o que me saiu, Poeta... isto não é coisa que se confesse assim, em público... ainda vão pensar que eu venho direitinha de Marte...
De poetazarolho a 25 de Junho de 2012 às 19:20
“Caminho do sucesso”

Já hoje ficou provado
Que metade do ano passou
Pelo ministro de estado
Que muito bem cantou

Cantaram à desgarrada
Para demonstrar o progresso
Do país que não valia nada
E vai a caminho do sucesso

Próximo ano é de viragem
Em uníssono ambos disseram
Acabados de chegar de viagem

Muita esperança nos deram
Nós cremos na alavancagem
E em tudo o que prometeram.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 26 de Junho de 2012 às 00:03
Ah! Bem-vinda seja a esperança
Mas jamais essa, impingida!
Quando falo de mudança
Não falo da minha vida...

Cantem lá o que entenderem
Que não me encantam a mim!
(mas encantam quem puderem
enquanto não chega o fim...)

Jamais acreditarei
Nessa alavancagem torta
Nem me venham com promessas

Pois a verdade é que sei
Que outra coisa mais me importa
E, afinal, não creio nessas...
De poetaporkedeusker a 25 de Junho de 2012 às 19:23
Talvez Churchill esteja correcto ao definir a política quase como uma arte divinatória... talvez.
Ela faz-se no dia a dia, no entanto... às vezes acredito que cada pequenina coisa que se faz ou diz tem, inevitavelmente, implicações políticas...
Quanto ao orgulho... também não sei bem. Penso que há dois tipos de orgulho - pelo menos.. - e eu vou tendo um pouco de um deles... e ainda bem que o tenho porque é aquele que nos impede de fazer tábua rasa da nossa dignidade...

Agora falando das nossas maleitas, acreditas que há dias em que andar mais do que meia dúzia de metros me provoca uma dor que suponho semelhante àquela que tu sentes nas vértebras? Também tenho problemas vertebrais graves, tal como tu, para além do problema auto-imune, o tal que nos "rouba" toda a força muscular.
Nunca cheguei a saber exactamente a natureza do teu problema... sei que tens hérnias discais, tal como eu, mas não sei mais nada. Também não quero que gastes o teu tempo e a tua energia a explicar-mo. Um dia, se calhar, se te apetecer e quando estiveres melhor, contas-me.

Enorme abraço e a continuação das tuas melhoras!
De M. Luísa a 25 de Junho de 2012 às 20:02
Mª. João

Não tenho "Hérnias discais" , confundiste e é
natural.
Parti duas vértebras da Dorsal :

A D7 e a D8

A D7 cicatrizou e eu fiquei bem, mas em Agosto passado, parti a D8 e daí, o sofrimento
ficou e não passou.

Vários exames fiz no Brasil, em Portugal e a
conclusão final ainda não veio.

Segundo o parecer, fiquei com uma artrose e
isso provoca dor tenebrosa.

Em Julho vou a um professor nas Torres de Lisboa e tenho esperança num milagre.

O problema se tem arrastado, há quase um ano.

Andar de automóvel, me mata e a "ressonância magnética" nunca foi feita.

A minha sobrinha médica não concorda e eu
também não.

Não tenho osteoporose (a meu favor) e em
Julho na tal consulta espero que se tente descobrir e aprofundar o problema.

Possa Deus ajudar,

Mª. Luísa

p.s. tu podias vir a Almada com o nosso amigo
pois eu não posso ir a N.Oeiras.
Te peço, vem por favor. Também o quero conhecer e agradecer.

Beijo,

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 25 de Junho de 2012 às 22:02
Confundi! Pensava mesmo que tinhas as hérnias... eu posso tentar, mas olha que eu também fico numa desgraça quando me desloco. Queixo-me mais aqui, nos blogs, do que na vida real, mas fico sempre muito, muito cansada, cheia de dores e sem ânimo para conversar...
Mas combinamos mais tarde! Bjo!
De poetazarolho a 26 de Junho de 2012 às 07:27
Agora é o momento, não temos piscina nem escuteiros em Julho o que deixa os Sábados um pouco mais livres, ou eventualmente um Domingo à tarde. Combine com a Mª João, fim de semana de 7 e 8.
De M.Luísa a 27 de Junho de 2012 às 13:12
Já falei nesse assumto à amiga Mª. João,
mas me parece que de momento não está entusiasmada.

Dê-lhe uma palavrinha.

De qualquer forma, obrigada,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 25 de Junho de 2012 às 19:53

uns copos eufóricos...o melhor para tal
é S. João
e alegria em dia o substituto da desgraça...

burros inteligentes
até no Verão ficam

mais quentes....mas que mais dá ?

se tal como tudo está
parece propaganda de uma qualquer nomenclatura
do passado...
o tempo dirá de si
e nós por aqui

ao raio que os parta e desfaça
na própria desgraça...que virá

joca da Covilhã
De M.Luísa a 27 de Junho de 2012 às 13:15
Eu aos "burros animais" os adoro e protejo...

Mas a esses que te referes não merecem o nome de burros...talvez tenha de inventar um nome.

Mas gosto do que escreves!

Mª. luísa
De jabeiteslp a 27 de Junho de 2012 às 14:27

Gamões...será o nome adequado hé hé hé

é o nome dos pequenos recém-nascidos
burritos pequenitos
que depois

ao sabor da ignorância de um povo
ou não
refazem as arrebatadas tiradas
Hitlerianas Salazaristas veias de declamação

iiiiiiiiiii
onde fui eu buscar isto....


E se déssemos um arraial de porrada
aos Espanholes
no jogo que aí vem ?

Beijinhos Luisa
De M. Luísa a 27 de Junho de 2012 às 16:13
Jabei,

De jogos não percebo nada. Não tirei esse curso!

M. Luísa
De jabeiteslp a 28 de Junho de 2012 às 08:16

agora também já é tarde
já estão de mala aviada...

feliz dia
De M. Luísa a 28 de Junho de 2012 às 14:21
Agora é tarde, mas melhor seria terem ganho!
Eu sou portuguesa, mas não me atiram poeira para os olhos (como o jogo e outros tais...)para que eu deslumbrada, esqueça as realidades.

Fizeram sempre isso, ao longo dos milénios.

M. Luísa
De poetazarolho a 26 de Junho de 2012 às 07:18
O chá não está em crise.
De M. luísa a 27 de Junho de 2012 às 13:17
Mas que notícia linda e ainda bem, que alguma coisa fugiu à crise.
Tinha de ser o chá!

Abraço,

Mª. Luísa
De M. Luísa a 27 de Junho de 2012 às 16:07
E quem disse que estava?

O chá colabora!

M. luísa
De poetazarolho a 26 de Junho de 2012 às 22:14
“Reconstrução”

Remar até me doer a mão
P’ró barco não afundar
Será a única solução
P’ra náufrago não virar

Mas todos devem remar
Numa mesma direcção
Os que estão a governar
E também os da oposição

Os folclores partidários
Deram cabo da embarcação
E os seus correligionários

Esburacaram esta nação
Contratemos mercenários
Partidários da reconstrução.
De poetaporkedeusker a 27 de Junho de 2012 às 16:07
Fazer com que os governantes
Vão remando em sincronia
Com mendigos , com estudantes,
Com quem cria a mais-valia????

Só se for por uns instantes,
Pr`á bela fotografia,
Tal e qual como era dantes,
Tal como antes se fazia...

Mas o buraco está feito
E o tecido, bem puído,
Bem longe de estar perfeito...

Só o povo, o povo todo,
Reparará tal tecido
Com coragem, com denodo...


Nem sei como consegui acabar este sonetilho manco, Poeta... depois dos Dez Sonetos a Évora do Joaquim Sustelo, no Rádio Horizontes da Poesia, pensei que nem o meu nome conseguiria escrever... que maravilha! O Joaquim tem um poder narrativo extraordinário! Nunca vi nada semelhante em toda a minha vida...
De poetazarolho a 26 de Junho de 2012 às 22:17
“Boca doce”

Mais austeridade, não
Mais austeridade, sim
Carece uma definição
Este alternado frenesim

Os que estão n’oposição
Não alcançam o pudim
Os que estão na governação
Não querem que tenha fim

Vamos vendo a alternância
E os gulosos que alternam
Vivem como se nada fosse

Com tiques de abundância
Muito bem se governam
E comem o boca doce.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 27 de Junho de 2012 às 16:11
Consigo lembrar-me bem
Do anúncio ao Boca Doce...
Agora ninguém a tem!
(quem dera que assim não fosse...)

Ele há um braço de ferro
A travar-se n`Assembleia...
Dizem que foi nosso, o erro,
Mas a crise é europeia...

Pudins mal distribuídos
E a desculpa esfarrapada
De que o culpado é o povo...

Eu fico entre os desmentidos,
Mas não quero estar calada
Ou assustada de novo...

Que dia tão "não" para as minhas pobres rimas, Poeta... acho que estou a perder a pouca capacidade que tinha de ouvir e escrever em simultâneo...
De poetazarolho a 27 de Junho de 2012 às 07:53
O chá reformulou a crise.
De M. luísa a 27 de Junho de 2012 às 13:18
Reformolou?
Mas que criatura inteligente!

M. L.
De poetazarolho a 28 de Junho de 2012 às 00:47
“Exemplo global”

Passada que está a euforia
Deste brilhante europeu
Vamos poder pôr em dia
Outros assuntos, digo eu

Canalizamos a energia
Para este pequeno país
Trabalhamos noite e dia
Com toda a garra e cariz

Dia e noite sem descanso
Afastamos a bancarrota
Levaremos enorme avanço

Seremos o exemplo europeu
Acho que com a derrota
Lá perdi o trambelho meu.
De poetaporkedeusker a 28 de Junho de 2012 às 01:13
"Primeiro não percebi
Qual a cor de Portugal...
Só mais tarde consegui
Ver que estava a "apostar" mal..."

FALTA DE PRÁTICA...

Este meu subconsciente
Pregou-me a bela partida
De nos julgar de vermelho
Mas, às tantas, de repente,
Fiquei mesmo estarrecida,
Desliguei o aparelho...

Estou a dizer a verdade...
Foi isto que aconteceu
Por mais mal vista que eu fique
Quero falar à vontade
Que o problema é todo meu
E quem quiser que critique...

Liguei-o logo a seguir;
Reconhecido esse engano
E reposta a ligação
Vi quanto estava por vir
- até vi o tal Cristiano! -
Sem morrer do coração
De poetazarolho a 28 de Junho de 2012 às 07:13
O chá ainda é.
De Mluisa a 28 de Junho de 2012 às 14:25
Ainda é e será
enquanto existir gente!

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001