Terça-feira, 27 de Março de 2012

"CHE"

 

 

 

Che Guevara é uma figura que divide opiniões,

alguns o admiram por seus feitos,

já outros, possuem várias opiniões

contra o seu modo de pensar.

 

 

A revista norte-americana Time,

intitulou Che Guevara como uma das cem personalidades

mais importantes do século XX.

 

 

No caminhar por estradas sem estradas

o encontrei e a alguns de seus pensamentos que são muitos

e estes apenas alguns...

 

 

E ele disse :

 

- Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas,

mas jamais conseguirão deter a primavara inteira.

 

 - "Sonha e serás livre de espírito...

 Luta e serás livre na vida".

 

 

- Não há fronteiras, nem ficamos indiferentes

perante o que aconteça

em qualquer parte do mundo.

 

 

A vitória nossa

ou a derrota de qualquer nação do mundo,

é a derrota de todos.

 

 

Ernesto Rafael Guevara de la Sena,

politico, jornalista, escritor e médico argentino,

pertence ao mundo e ao Planeta Terra.

 

 

Pertence a todos quantos morrem

e aos outros que sobrevivem às guerras.

 

 

 

Maria luísa Adães

 

 

 

                  http://lagatacoqueta.blogspot.pt    para o blogs :  http://os7degraus.blogspot.com   /Oferta

publicado por M.Luísa Adães às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
109 comentários:
De M.Luísa Adães a 27 de Março de 2012 às 18:48
Amigos

Isto que escrevi, o encontrei pelos caminhos incertos por onde andei.

E cheguei à conclusão final
sem politicas
sem partidos
e atingi o real...

Como eu gosto, afinal!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 27 de Março de 2012 às 19:00
sem dúvida um perfil profundamente humanista do Che. Algumas das frases que dele colheste, tocam-me profundamente e levam-me a acreditar que haverá sempre alguém que não desiste do que há para além de si.
Abraço grande, amiga!
De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2012 às 14:49
Foi uma coisa acidental me lembrar de "Che"

Ele define bem a necessidade de ajudar os povos, pois o Planeta Terra é a nossa casa.

Não sou politica e o que digo é o que sinto, não o que as "massas" querem que eu diga.
E tu sabes!

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 15:39
Eu também não penso ser grandemente dotada para a política, amiga, mas os interesses da maioria - ainda que nalguns casos inconscientes - levaram-me a tornar pública a minha escolha.
Estou profundamente consciente de que a minha esperança de vida não é muito longa e houve um momento em que percebi que teria de o fazer, sob pena de tornar inútil e ilegível tudo aquilo que escrevia.
Ainda me dói muito o ouvido. O dente já está um pouco melhor, mas o ouvido está péssimo!
Já enviei email à minha filha do meio. Aguardo resposta. Não tenho outra forma de dar continuidade a esta nova série de consultas e exames. Não tenho mesmo.
De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2012 às 16:13
O meu tempo está a passar muito rápido.
O tempo passa rápido para todos.
A idade deixou de contar.
E o "BI "de que os portugueses (alguns) tanto
gostam, não têm influência no tempo de vida.

Sem ilusões, sinto e sei que isto é uma verdade que toca a todos!

Minha amiga, tu sabes o que fazes e as razões porque o fazes. Nada a dizer, apenas aceitar!

Eu continuo a ser a Humanista Secular!
Escolhi e gosto da escolha, mas não contesto a escolha dos que me rodeiam.

Mas só aplaudo o que gosto e gosto "à minha maneira, assim como escrevo "a minha maneira".

Lindo o que escrevemos, sentimos e dizemos.

Maria luísa
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 16:17
Sim, as coisas são muitíssimo mais belas quando são profundamente sentidas.
Bjo!
De poetazarolho a 27 de Março de 2012 às 20:46
“Sierra Madre”

El comandante supremo
De lutas há muito perdidas
Não chegou a estar enfermo
Mas curou muitas feridas

Só não pôde ser curado
Das que lhe floram infligidas
Por feridas assassinado
Essas que nos eram devidas

Mas que com ele partiram
Sei que muitas mais partirão
Pois não há luta de verdade

Os que a luta assumiram
Foram comprados a tostão
P’ra mal da humanidade.
De poetaporkedeusker a 27 de Março de 2012 às 22:03
Nem todos serão compráveis...
Muitos sempre lutarão
Por ideais mais louváveis
Com a força da paixão

O que sempre recordamos
Assim o fez, por inteiro,
Sem temer os grandes amos,
Renegando o deus-dinheiro...

Mas tornemos a pensar
Nos jovens que estão doentes
Com graves patologias

Há que atender e tratar,
Só depois lançar sementes
De outras novas teorias...


Há quem pense em dar saltos maiores do que as pernas que tem, Poeta. Não estou a falar de si, mas de muitas pessoas bem intencionadas - não ponho em causa as intenções - que pensam conseguir fazer o que não conseguem, efectivamente. Nem tudo se cura com ervas, massagens e boas energias. Também nem tudo se consegue curar com os avanços da ciência, é verdade... mas pensemos - MESMO - nas muitas, muitíssimas pessoas que estão dependentes de tratamentos clínicos muito complexos e rigorosos. Atenção! Há por aí mais charlatães - alguns bem intencionados, repito - do que alguém pode imaginar. A ignorância é uma mãe pródiga e trepa por tudo quanto é sítio, baseada em "estudos" que pouco ou nada têm de real. Façam-se as coisas com a calma necessária para que, mais tarde, alguns de nós - eu não estarei por cá, de certeza - não se possam vir a sentir culpados da morte de milhares de cidadãos... tanto ou mais do que as medidas de austeridade das troikas.
Desculpe-me este apelo que, muito provavelmente me vai deixar mal vista perante gregos e troianos, mas prevejo - com racionalidade qb - que a ignorância corre o risco de fazer tantas vítimas quanto a sua irmã ganância...

E, agora, o abraço grande! :) Se leu aquele email que lhe enviei, pense nele maduramente.
De M. luísa a 28 de Março de 2012 às 15:40
Ainda nada li, mas penso que tens toda a razão e com certeza que eu nada mais tenho a acrescentar, se tiver... eu acrescento.

A ignorância é um mal tão mau quanto a ganância.
Mas a ignorãncia, se não for ganância, pode ser boa e honesta!

Mª. luísa
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 15:54
Ui! Levei tudo para o teu blog, amiga... eu não gosto mesmo nada de dar conselhos a ninguém - talvez abra uma ou outra excepção, mas é muito raro - mas, ontem, pareceu-me que deveria dizer isto ao nosso amigo Poeta Zarolho. A ignorância pode não ser má, tens razão... mas convém sempre caminhar-se no sentido de a ultrapassar.
Tenho ouvido e lido coisas tremendas, ultimamente. Coisas que tendem a impor "modas e "estilos" que podem vir a contagiar pessoas que pouco ou nada entendem de saúde, mas que estão sempre prontas a aderir às tendências mais "espampanantes" do momento. Também foi intuitiva, esta minha tão pouco habitual "prelecção"...
De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2012 às 16:23
Sim, caminhemos no sentido de a ultrapassar.

Lembra a razão da minha "queda" que me podia matar e talvez fosse uma ignorância
maldosa o que fez as pessoas prometerem e
fingir que nada tinham prometetido.

Foi uma cilada infame e não se faz a quem há tantos meses tem sofrido tanto...

Ignorância? Não! Desinteresse pela saúde e vida dos outros? Sim!

E esse desinteresse é sórdido, cruel e desumano.

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 17:39
Tens razão, o desinteresse também pode ser criminoso. Mas eu referia-me, aqui, a uma coisa mais vasta e abrangente... digamos então que o desinteresse e a ignorância são dois dos "pontos fracos" da humanidade.
Tive de sair do CJ porque a sala estava sobre lotada. Passei, num instante, por aqui, mas tenho de ir tratar de alguns dos "incidentes" do dia a dia que os meus velhotes me vão deixando...
De Mª. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:22
Isso mesmo!

Mª. luísa
De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2012 às 14:59
"Chez" foi vitima de traição por alguém ele supunha amigo.
Há sempre um Judas a vender alguém por dinheiro.

E no geral, os idealistas
acabam por morrer...

Eu apresentei o Che ,como pertencendo a todos e não apenas a alguns.

E essa me parece que foi a realidade da sua luta.Obrigada,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 27 de Março de 2012 às 23:43
será um momento no tempo
mas também elemento

de uma sociedade melhor....


http://www.youtube.com/watch?v=vJT9e7t3JPQ

jocas
De M.Luísa Adães a 28 de Março de 2012 às 15:28
Sim foi um elemento de uma sociedade melhor que pertence ao mundo e a ninguém em especial.

Agradeço a oferta e a dedicatória dessa oferta:

À minha querida amiga Maria Luísa...Escritora e Poeta.

http://anjodaesquina.blogs.sapo.pt

De Jabei.

O encontrei nos vídeos, mas não o poude levar para o meu mural do Facebook .

http://www.youtube.com/watch?v=vJT9e7t3JPQ

Obrigada amigo, muito bom!

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 28 de Março de 2012 às 18:02
infelizmente
não tenho os direitos musicais
e por isso
terei de o apagar...coisas banais
mas que não deveriam ser nem acontecer...
enfim...mais uns dias e depois apago-o....

notificaram-me dos direitos---

bela tarde Luisa
De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2012 às 14:26
Joca

Foste notificado porquê? Eu não o passri a ninguém, mas o vi no youtube e daí essa
coisa estranha. Nem podia imaginar!

Explica melhor!

Mª. Luísa
De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2012 às 14:29
Joca

Queria fazer uma ressalva, mas não encontro o que escrevi. Me explica melhor!
De jabeiteslp a 29 de Março de 2012 às 16:06
só com o LINK que deixei no comentário
te dá acesso....

mas prefiro que vejas o que coloquei há uma hora...
tem todos os ingredientes de um filme de terror...

bela tarde Luisa
De M. Luísa a 29 de Março de 2012 às 16:45
Há uma hora? Não encontro nada!

M. Luísa
De jabeiteslp a 30 de Março de 2012 às 11:57
Um feliz dia
De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2012 às 12:15
E venha um pouco de alegria

Nem sempre ela vem...

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 30 de Março de 2012 às 14:33

eu sonhei ao acordar
que neste vale
as águas estavam a subir vindas do mar
e embora protegidos por um globo ou força
de vidro ?
a água começou a entrar
subimos ao mais alto e lembro
estarmos muitos na montanha a admirar
o génio das conseguidas técnicas
as de por baixo e cima do mar....difuso
mas sossegado
este meu acordar encontrado....

alegria que desejo à minha querida amiga Luisa
boa e feliz tarde
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2012 às 12:21
Os sonhos ao acordar têm um significado para além do tempo.

E no teu sonho as águas vinham do mar e subiam as montanhas e se não acordasses
"vias o mundo a acabar"...

"Mas não viste"
então Ele vai continuar...

Obrigada amigo por tuas palavras de sinceridade e de verdade.

Mª. luísa
De jabeiteslp a 31 de Março de 2012 às 14:52

temos o engenho
de o não deixar acabar...

Bom fim de semana feliz
De Mª. Luísa a 1 de Abril de 2012 às 08:59
Temos o engenho e a arte...

Como dizia Camões.

Um bom dia,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 18:58
Outro momento a sorrir
No vídeo que vi agora
Mas que terá de partir...
Porque é que tem de ir-se embora?

Fica assim, só uma quadra, Anjo da Esquina... entendo que o vídeo não está listado no Youtube e
, por isso, não pode continuar a ser visualizado... mas não há forma de o guardar sem pagar direitos de "estadia" online?

Abraço!
De jabeiteslp a 28 de Março de 2012 às 20:26

os direitos no Youtube
serão sagrados por política própria
diga-se que o video não foi bloqueado
só o aviso dos direitos musicais
e eu
ética minha
não desdigo de tal
e prefiro apagá-lo...não será o primeiro....

musicas
o que não compreendo é a mesquinhez de tal
pois se fosse com perfil monetário ou financeiro
tudo bem
mas nos casos meus
um tanto de arte que se tem....aaaaaaaaaaaaaaaaa

xoxo da Covilhã
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 23:26
Obrigada por me elucidar, Anjo da Esquina :) As coisas, por aqui, não são assim tão livres quanto parecem...
Abraço!
De Mª. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:54
M.João

Eu estou espantada...nada sabia destas éticas.
Será a figura mencionada? Ou é mesmo assim? Estranho, pois a liberdade não é assim
e o vídeo é simples e enaltece de certa forma.

M.L.
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2012 às 15:07
Eu também sei muito pouco, mas nada me espanta já, amiga... não me parece que tenha a ver com a figura que o vídeo evoca... é assim que o sistema funciona.
Abraço, amiga!
De Mª. Luísa a 29 de Março de 2012 às 15:57
Espero que sim! Sabes é uma figura polémica,
mas eu só coloquei o melhor...pois há discursos
virulentos. Eu o coloquei e o tornei diferente
de tudo,

" já tendo em vista não dar nas vistas".

De vídeos nada percebo!
E o anjo me fez uma homenagem com aquela oferta. Pobres dos "Anjos"...

Não se pode ser Anjo!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2012 às 18:00
O Anjo é simpático, oferece-me sempre uma florzinha quando me visita :)
Suponho que as plataformas que utilizam unicamente o vídeo, como é o caso do Youtube, tentem ganhar clientes dessa forma, impedindo os vídeos não listados de permanecerem no ar. Este é um mundo complexo, amiga. Muito, muitíssimo mais do que possa parecer...
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 29 de Março de 2012 às 18:47
Eu penso que sim.
Mas se eu quiser receber vídeos me posso inscrever, mas colocar já deve ter outra técnica.

Daqui, têm saído para o mundo real coisas
muito importantes.

Cantores ou músicos, começam aqui, um dia se tornam famosos.

Isso eu reparei! Há todo o interesse em colocar o vídeo e sempre mais, mas de certeza têm de pagar. Mas não sei!

O Anjo é muito simpático e gosta que sempre se responda para o blogs dele...são comments.

Se ele me manda as boas noites e escrevo no blogs dele a resposta. Funciona assim.

Até amanhã!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2012 às 19:00
Também me parece - sempre me pareceu... - que estes meios de comunicação estão muito mais vocacionados para fazer cantores e músicos do que escritores, sobretudo poetas... mas a Poesia existiu e existirá sempre, enquanto houver humanidade.
O anjo publicou um vídeo sobre umas termas de águas radioactivas... sempre fiquei com curiosidade em saber quais as implicações ambientais daquelas nascentes... já foram utilizadas enquanto termas, logo com propósitos curativos...
O património arquitectónico abandonado é vasto e lindíssimo. Tenho alguma pena de não ter mais tempo para pesquisas...
Abraço e até amanhã, amiga.
De Mª. Luísa a 30 de Março de 2012 às 13:09
E nos poetas, eu me sinto cada vez mais esquecida nos "7degraus".

Será que não sou tão boa como penso?
Ou será que não os procuro com a mesma vontade com que o fazia (por não poder)?

Ou a minha forma de ser e sentir muda, ou
deixo de escrever poemas no google.

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 30 de Março de 2012 às 14:40
Não, Maria Luísa, não tem a ver com a qualidade da poesia. Não tomes isso por certo porque não o é. Tenho encontrado poemas extraordinariamente bons, sem comentários, e outros que pouco ou nada valem e têm dezenas deles.
No que me diz respeito, também deixei de poder muita coisa. O meu ritmo de publicação tornou-se umas dez vezes menor e eu nem sempre me lembro de ir ao Google. Irei agora.
Até já!
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2012 às 12:27
Tocaste no ponto certo.

Poemas maravilhosos
sem comentários

E poemas que pouco ou nada valem
cheios a transbordar...

É isso que eu vejo!

Isto é uma espécie de jogo
onde o melhor é derrotado.

Mas não deve contar. Tu chegaste ao ponto certo e escreveste...

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 31 de Março de 2012 às 13:06
É por isso que te posso... que me atrevo a dar-te o conselho de não ligares tanto aos comentários. Não gosto de dar conselhos porque pressuponho sempre que posso estar errada, mas não aqui. Foram muitos anos de trabalho e contacto diário... tu sabes como na net o tempo corre... quatro anos, por aqui, são uma eternidade...

Acreditas que a malvada dor de dentes e ouvidos ainda por cá está? Não tão intensa como no início, mas está... e a febrezinha também. Para não falar no resto que não melhora rigorosamente nada. É tão difícil aguentar tudo isto!
Abraço enorme, amiga!
De M. Luísa a 1 de Abril de 2012 às 08:56
É isso!
Passar à frente da indiferença
que é apanágio deste lugar.

E fazer o que gostar!

Obrigada,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 1 de Abril de 2012 às 12:40
Eu acredito que aquilo que gostamos de fazer, coincide quase sempre com aquilo que devemos mesmo fazer. Pode ser uma fantasia minha, mas é assim que o sinto, por isso o vou afirmando.
De m. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:50
Nem sei que dizer.
Ignorava que se pagava na Net.

E é muito?

Que lembrança eu tive de dourar o "Che"...

Mª. Luísa
De Mª. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:43
Essa do pagamento me deixou estupefacta!
Não somos livres!

E nada mais sei dizer...

M.L.
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2012 às 14:48
Não somos, não... pelo menos, não tanto quanto pensamos, amiga.
Bjo!
De poetazarolho a 28 de Março de 2012 às 18:50
“Poema sem poeta”

Poeta que sem ser
Ninguém o vai usar
Até o podem esquecer
Ninguém o vai julgar

Escusa até de nascer
Ninguém o vai matar
Poeta que sem escrever
Não se esquece de rimar

O poema já existia
Perdido no meio de nada
Mas ninguém o escrevia

Até que uma mão usada
O fez sair da agonia
De um poeta sem poesia.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 28 de Março de 2012 às 19:26
Essa é uma teoria
Que tem muitos seguidores;
Pré-existe, a Poesia,
Tão espontânea quanto as flores...

Também se diz da Pintura
Que era já pré-existente
Ao que nas telas procura
Dar-se inteiro, ardentemente...

Penso que a conjugação
Entre Artista e Variáveis
Se revela promissora

Se nela existir paixão
E uns "saberes" aceitáveis,
Sem dizer que há sempre "a hora"...

Olá, Poeta! :) É mais ou menos como a consegui descrever neste sonetilho atrapalhado com a falta de "espaço" para dizer mais, seguindo um mínimo de métrica... mas, dizia, é assim que eu "sinto" a arte. É quase, quase, uma conjugação entre o artista, as infinitas variáveis que compõem a vida no seu dia a dia e "a hora". O artista - poeta, escultor, músico, etc - sente sempre "na carne" o efeito destes três elementos, quando nasce qualquer coisa francamente boa. Claro que é a minha versão, mas experimento-a há muitos anos. Ah, se não houver uma pontinha de "transgressão" - no meu caso específico, agora - também já não sai nada de jeito. Não precisa de ser uma transgressão específica nem pré-estabelecida... ela nasce e cresce em harmonia com os outros três elementos.

Abraço grande!
De Mª. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:40
Para mim,
esse poeta de mão usada
de um poeta sem poesia
e desse poema que já existia

Não me diz nada!

Talvez o poema
não seja para mim
ou eu não o entendi...

Abraço,

M. Luísa
De poetazarolho a 28 de Março de 2012 às 19:01
O chá não corrompe.
De M. Luísa a 29 de Março de 2012 às 14:46
O chá não corrompe...

Mas a conversa no chá, já não sei...

O chá, na realidade, é o pretexto para o encontro!

Mª. Luísa
De poetazarolho a 29 de Março de 2012 às 18:52
“Brutal”

Esta sociedade é brutal
Não por ser dos brutos
Esta sociedade infernal
É pertença dos argutos

Fazem uso da ignorância
Como carne para canhão
Alimentando a ganância
Levam tudo, até o pão

Que o ser sem alimento
Cedo perde a sua razão
Terreno p’ró sofrimento

Chega assim sem dizer não
Se lhe falam ao sentimento
Têm a sociedade na mão.
De poetaporkedeusker a 29 de Março de 2012 às 19:23
E alguns estarão convencidos
De fazerem o correcto...
Quantos direitos perdidos
Nessa busca de inconcreto...

Crescendo o enorme fosso
Entre alguns e maioria,
Para os mais não sobra almoço,
Nem jantar... nem poesia...

Seremos os "fazedores"
Dos trabalhos mais penosos
Que eles souberem inventar...

Marionetas dos "senhores",
Receando, temerosos,
Não podermos agradar...


Olá, Poeta! Não. Não estou assim tão pessimista, pelo menos em relação aos outros. Ainda acredito.
aqui, limitei-me a dar continuidade ao seu sonetilho... para mim é que as coisas continuam muito mazinhas. A porcaria da dor de dentes voltou e parece que estou mesmo a "desaparecer"... em termos de massa corporal :)
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2012 às 12:13
Nem sempre somos os detentores
de toda a verdade,

Nem sempre...

E alguns há como nós
que cultivam a verdade.

Mas não sei bem o que sou
Nem sempre sei o que sinto.

O mundo mudou!

Isso eu sei!

Mª. L,
De poetaporkedeusker a 30 de Março de 2012 às 15:22
Ninguém - absolutamente ninguém - é detentor de toda a verdade, amiga. Pobre daquele que não o tenha descoberto por volta dos seus 12 ou treze anos... mas cada um de nós é, no dia a dia, livre de dizer, ou não, a verdade sobre si mesmo e sobre a sua visão e posicionamento no mundo. Isso é completamente diferente, nada tem a ver com ser "detentor da Verdade". Mas se eu, por exemplo, te disser que sou casada, moro no Porto e detesto animais, estou a mentir-te. É muito, muito simples... tão simples quanto o que acabo de dizer e não permite grandes fugas nem grandes dissertações filosóficas.
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2012 às 12:35
É um jogo, onde cada um diz o que quer.

Repleto de mentiras e algumas verdades

E medos uns dos outros.

Há pouco pedi "uma morada" para mandar um livro e a pessoa não respondeu.
Pedi mais três vezes e não respondeu.
Eu aceito, mas não aceito a cobardia de dizer com clareza
"eu não dou a minha morada"

E isso faz parte do medo, mas o medo não é censurável, a cobardia de o assumir, isso é
censurável.

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 31 de Março de 2012 às 12:57
Sim, não tenho dúvidas de que há medos e muitas mentiras... tal como na vida real.
Eu nunca fui muito de uma coisa, nem outra... mas também não quero ser louvada por isso! É uma coisa naturalíssima em mim... estaria a forçar-me com alguma brutalidade se tentasse entrar nesse jogo e, por esta altura, já não faço essas cedências.
Compreendo o que sentes. Aprendi a aceitar isso com naturalidade, ao longo destes quatro anos e meio. Não posso exigir aos outros que sejam iguais a mim, amiga... nem sequer me passa isso pela cabeça, embora , antes de entrar na net, não compreendesse que alguém pudesse recusar uma morada. Acho que nunca ninguém a negou, na minha família... confrontei-me com todos estes receios, pela primeira vez, neste meu percurso de poeta online... mas eu assumo que não sou lá muito comum...
De M. Luísa a 1 de Abril de 2012 às 09:04
É isso mesmo.
E são essas coisas infimas
que eu não seria capaz de fazer
que eu não entendo
E também não aceito.

Para essa pessoa eu não escrevo mais.
Acabou! Mais um a acabar!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 1 de Abril de 2012 às 12:36
Tem calma, amiga.
Eu, neste momento, encaro aquilo que entendo por "falhas alheias" com uma grande naturalidade. Afinal de contas eu, mesmo não tendo consciência de muitas das falhas que cometo - ninguém as tem de todas - também tenho de aceitar que possa aborrecer muita gente.
Uma das minhas piores falhas - daquelas que eu consigo consciencializar - é esta lentidão crescente com que me movo e que me impede de visitar os blogs dos amigos de sempre... agora, até de produzir poesia... há vários dias que não produzo nada e começo a sentir-me um tanto ou quanto inútil. Espero que isto melhore um pouco porque noutras áreas que impliquem deslocação física, já nada faço. Nada de nada, para além de tratar minimamente dos animais... e muito mal, em comparação com o que fazia dantes.
Abraço grande!
De Mª. Luísa a 2 de Abril de 2012 às 17:01
Isto não foiuma falha, foi uma falta de confiança e não houve coragem para dizer.

E fingiu que não tinha lido os 3 emails e
resolveu o assunto. Não pode ser minha amiga, nem eu dela. Acabou!

Mª. luísa
De poetaporkedeusker a 2 de Abril de 2012 às 17:40
Tu saberás o que fazer, amiga. Evita magoar-te conforme puderes e souberes.
Estás melhor da coluna? A minha não anda grande coisa... e o antibiótico acaba amanhã, com o dente e o ouvido ainda a doerem... muito menos, claro, mas a infecção não está completamente debelada.
Também tenho de ir, amanhã, ao hospital... depois de amanhã vou buscar os relatórios das radiografias e, entretanto, apareceu-me uma carta do centro de saúde que me avisa de que a minha médica de família se desvinculou do contrato com o ACES de Oeiras e terei de ir lá, com um documento que comprove a residência, para poder ter outro/a médico/a...
Para quem mal pode andar uns metros, é obra... mas terá de ser.
Vou ao 7 degraus!
De Mª. luísa a 3 de Abril de 2012 às 12:40
Vai aos "7degraus"
"E Regressei" está dedicado a um (ª) amigo.

É absolutamente simbólica a minha personagem.

Melhoras e Páscoa Feliz.

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 3 de Abril de 2012 às 14:40
Vou já, já!
Abraço!
De poetazarolho a 29 de Março de 2012 às 18:58
O chá hoje está poluido.
De M.Luísa Adães a 30 de Março de 2012 às 12:07
Nem sempre!...

M. L.
De poetazarolho a 30 de Março de 2012 às 21:53
O chá foi com o vento.
De M.Luísa Adães a 31 de Março de 2012 às 21:16
O chá foi com o vento?

Talvez parasse noutro lugar
no sentido de mudar...

M. Luísa
De M Luisa a 1 de Abril de 2012 às 08:47
O chá foi com o vento...

Por favor, faz outro chá
e convida teus amigos.

M. L.
De poetazarolho a 30 de Março de 2012 às 22:01
“Admirável mundo novo”

Suciadade intoxicada
Com propaganda feroz
Vai morrer envenenada
Escolheu destino atroz

Investiu no crescimento
Continuo e desregulado
Não há melhor argumento
Para chegar a nenhum lado

Uma vez aqui chegados
C’os frutos desta colheita
Não parecemos saciados

É aí que o perigo espreita
Pelo crescimento sufocados
Nasce a sociedade perfeita.
De poetaporkedeusker a 30 de Março de 2012 às 22:36
Imperfeita, mas não morre;
Vai apenas transformar-se...
Como o amanhã ocorre,
Assim ela irá mostrar-se

Bem mais tarde, renascida
Do que de nós for sobrando...
Não posso aceitar que a vida
Se esteja, agora, acabando...

Mas creio, em compensação,
Que os humanos vão mudar
Como tudo o que há por cá

Pois já não digo que não
Possa tudo melhorar...
Nunca ficar como está!


Desculpe, Poeta! O seu está bastante bom e o meu saiu muito mauzito... eu bem vou avisando que não estou bem... do dente, pouco ou nada melhorei. Ainda me dói, embora um pouco menos. Do resto, nada de nada.
Um abraço!
De M. Luísa a 1 de Abril de 2012 às 08:52
As sociedades mudam
O planeta gira
e muda na forma de girar.

Muitos sofrem
muitos não se apercebem
muitos ressuscitam.

A mudança se deu
tal como o passar das estações
e não volta atrás.

M. Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001