Segunda-feira, 5 de Março de 2012

EÇA DE QUEIRÓS

 

 

1872                                                                          2011

 

                   ! ! ! ...      139 anos depois ... !

 

 

                                 Eça de Queirós

 

 

                               Portugal e a Grécia

 

 

Eça de Queirós escreveu em 1872 :

 

"Nós estamos num estado comparável apenas à Grécia :

 

A mesma pobreza, a mesma indignidade politica, a mesma

trapalhada económica, a mesma baixeza de caráter,

a mesma decadência de espírito.

 

Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num

país caótico que pela sua decadência progressiva, poderá

vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se em paralelo,

 

    a Grécia e Portugal"

 

Escrito em 1872 ...  Verdadeiramente impressionante ...

 

                         ( in as FARPAS )

 

In "Citações e Pensamentos"  de Eça de Queirós :

 

 

 

"Este Governo

 

  não cairá porque

 

  não é um edificio,

 

  sairá com benzina

 

  Porque é uma nódoa"

 

 

" O Conde de Abranhos" 

 

       Eça de Queirós

 

 

 

José Maria Eça de Queirós

 

Povoa de Varzim - 25 de Novembro de 1845

 

Paris - 16 de Agosto de 1900

 

Portugal Março de 2012.

 

 

 

Eça de Queirós era um visionário

 

ou um simples conhecedor

 

da história de Portugal?

 

 

 

Maria Luísa Adães

 

 p.s. 1º. Ministro de Espanha Mariano Rajoy

         recusou cumprir as metas do défice

         deste ano.

 

 

                                Oferta do blogs:         http://miscariciasdelalma.blogspot.com      (8 de Abril de 2012)

 

 

 

 

                

Oferta/

 

Poema "Distância" de Maria Luísa Adães

Em destaque no :

 

http://mariaselma.blogspot.com

 

 

 

 

 

          

 

Monja Dominica Clausura/ Orden de Predicadores

Espanha

 

Para o blogs:  http://os7degraus.blogspot.com

publicado por M.Luísa Adães às 12:18
link do post | comentar | favorito
|
123 comentários:
De jabeiteslp a 5 de Março de 2012 às 14:09

Apraz-me esse teu sentido de humor...hé hé hé

uma bela tarde Luisa
De M.Luísa Adães a 5 de Março de 2012 às 14:40
Jabei

Foi Eça de Queirós que escreveu há 139 anos.

Parece mentira! Que homem fabuloso que na minha opinião em relação à pergunta final :

"Era um conhecedor da história de Portugal"

O texto não é meu!

Obrigada por apareceres tão rápido!

Mª. Luísa

De jabeiteslp a 5 de Março de 2012 às 17:55

sabes como temos percepção
mas acima mais coração---

feliz tarde pra ti
De M.Luísa Adães a 5 de Março de 2012 às 18:00
jocas

Não entendo bem. Podes explicar?

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 6 de Março de 2012 às 08:13

ao longo dos tempos
houve sempre gente
que apercebiam outros momentos...futuros

um belo dia Luisa
De Mª. Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:53
Joca

Dizes muito bem "ao longo dos tempos houve sempre gente que antecipava o futuro"
tão real que parece ter sido escrito hoje nos jornais do dia. Impressionante!

Um beijo,

Mª. luísa
De jabeiteslp a 7 de Março de 2012 às 20:24

não será penso eu
mas o dia a dia será diferente
a cada momento presente

e nada já é quer ou não se tente
ser feliz...

bela noite pra ti
De M.Luísa Adães a 7 de Março de 2012 às 21:23
Joca

Vamos ver se Eça errou.
Julio verna não errou!

Bom seria que Eça não fosse visionário e que conhecesse mal, muito mal o povo português.
Desejo que tenhas razão!

Boa noite,

Mª. Luísa
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 01:23
Chove chá.
De M. Luísa a 6 de Março de 2012 às 16:03
Chove lá fora? E é chá o que chove?

Que coisas estranhas estão a acontecer...

M. luísa
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 01:31
“Tempos loucos”

Estar no caminho certo
Mas para o lugar errado
Nunca estivemos tão perto
Mas tudo pode ser abortado

Um gestor de carreira terás
Se estiveres desempregado
Assim em tempo real saberás
O porquê do teu triste fado

Houve um tempo recente
Com meio mundo louco
E deu-se a guerra mundial

Hoje vive-se tempo diferente
100% de loucos é pouco
Daí o nosso futuro bestial.

Prof Eta
De poetaporkedeusker a 6 de Março de 2012 às 12:15
Como um gestor de carreira
Se eu mal me posso mexer,
Estar sentada na cadeira
E, às vezes, até escrever?

Nem me posso deslocar
Ou andar daqui pr`ali
Pr`a poder justificar
As coisas que digo aqui...

Até já me vai custando
Tratar do essencial
Que é tomar duche e vestir-me

E o tempo já vai faltando
Neste cansaço geral
Que se lembrou de invadir-me...


Mais outro! :) Estou literalmente "a dormir em pé" mas ainda vou conseguindo responder :)
De Mª. Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:40
Tu és o Gestor do teu tempo...

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 6 de Março de 2012 às 19:24
Todos somos, mas tudo é muito relativo... no que toca a levar duas horas ou mais para tomar um simples duche, não posso fazer grande coisa... no estado em que tenho a coluna, está ela muito mais próxima de ser a gestora do meu tempo... eu sei que não é muito fácil aceitá-lo, mas é verdade, por muito frustrante que seja...
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 6 de Março de 2012 às 15:39
Caminho certo´
E lugar errado
Quanta contradição
própria do tempo...

Mª. L.
De M. Luísa a 6 de Março de 2012 às 16:01
Tempo de loucos
transportado através de um século, até hoje.

M. Luísa
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 01:34
“Nascer”

Desistir sem ter lutado
Aonde nos pode levar
Morrer sem ter nascido
Alguma vez ouviste falar?

Fazer caminho sem caminhar
É a mais triste ilusão
É preciso caminhar e errar
E empenhar o coração

Nasce p’rá vida nasce p’rá luta
Duma humanidade inteira
Neste tempo de modernidade

Empenha-te nesta disputa
Quando o colapso se abeira
Sem alma restará apenas saudade.
De poetaporkedeusker a 6 de Março de 2012 às 11:45
Já o tempo da brandura
Passou por nós, a correr,
Que esta luta é mesmo dura
E este povo quer vencer!

Também é arma, o poema,
E também ele se levanta
Pr`abaçar o novo tema
Daquele que, lutando, canta!

Nasçam poemas e flores
Das mãos do povo insurrecto
Que sabe dizer que não!

Expurguemos o mal, as dores,
Naquilo que é mais concreto
E a bem da nossa Nação!


:) Até já, Poeta!
De Mª. Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:46
Poeta

O tempo da brandura é mais rápido, ainda
mais rápido do que a nossa vida.

Mª. L.
De M.Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:58
E não fiquemos pela saudade...mas acreditemos e lutemos pelo futuro que há
139 anos foi previsto por Eça de Queirós.

Impressionante como se pode escrever, como se fosse escrito hoje, nos jornais da manhã.

Abraço.
,
Mª. Luísa
De Eduardo Daniel Cerqueira a 6 de Março de 2012 às 10:35
Sempre actual este Eça de Queirós.

Beijinhos Luísa
De Mª. Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:49
Olá Edu

Quanta saudade tua...mas interessa é não esquecer...e tu não esqueces...

Eça de Queirós um visioñário ou um conhecedor extraordinário do povo português...é tão atual que impressiona.

Um beijo, meu amor,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 6 de Março de 2012 às 11:54
Ah, o Eça! Que bom que o trouxeste até cá com a sua extraordinária lucidez!
Não sei se ele não seria mesmo um visionário, para além de ser um profundo conhecedor da nossa História no contexto europeu... quantos visionários temos na Literatura! Logo, muito pequenina, tomei conhecimento de um deles, Júlio Verne, num campo um pouco diferente, claro, mas que nos não deixa outra hipótese senão rendermo-nos à sua extraordinária capacidade de antecipar as realidades vindouras...
Um abraço grande, amiga!
De Mª. Luísa a 6 de Março de 2012 às 15:43
Julio Verne, um fenómeno inexplicável.

Eça de Queirós outro fenómeno inexplicável!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 6 de Março de 2012 às 19:19
Dois dos grandes fenómenos da Literatura Mundial, amiga!
Já voltei a ter televisão! Veio cá um técnico do Oeiras Está Lá! e colocou uma antena interior... e está a funcionar! Custa-me que as notícias estejam cada vez pior mas, para quem está há tanto tempo fechada em casa com a pneumonia, sabe bem voltar a poder olhar para o pequeno ecrã!
Abraço grande!
De Mª. Luísa a 7 de Março de 2012 às 09:13
Bravo amiga, te estou esperando no google para colocar outro poema. Sem ti não coloco nada!

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 7 de Março de 2012 às 12:41
Vou já até lá!
Abraço grande!
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 21:00
Com este chá podes perder a cabeça.
De Mª. Luísa a 7 de Março de 2012 às 09:17
Amigo

Já a perdi há muito...mas como é esse chá?

Vou arranjar tempo para te visitar, mas agora é impossível. Tu mereces!

Abraço

Mª. Luísa
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 21:49
“Viver supremo”

Tens alma não tens calma
A tua vida é comunhão
Transforma do outro a alma
A vida também é elevação

Elevação acima do desprezo
Que às vidas nos ofereces
Quem sabe não ficas preso
Na teia que ao outro teces

Procuremos a libertação
De quem ao outro entrega
Ajuda digna e merecida

Faz por ti, faz pelo irmão
Se a alma nunca se nega
Entrega-lhe também a vida.
De poetaporkedeusker a 7 de Março de 2012 às 00:12
Pois eu é de corpo e alma
Que consigo ser quem sou
E ninguém me leva a palma
Naquilo que eu mesma dou

É bem verdade que às vezes
O corpo me tolhe os versos
E deixa a alma em revezes
Em mil soluços dispersos...

Pode ser a pneumonia
Que ora me deixa sem voz,
Ora sem inspiração,

Ou pode - quem o diria? -
Uma dor que é mesmo atroz
E me deixa em aflição...


:D Estou a saltitar entre o Poetaporkedeusker e o Rádio Horizontes... misturam-se-me os versos todos... mas, pronto... assim estou a criar o hábito de conseguir dar atenção a duas coisas em simultâneo :) Depois lhe levo os sonetilhos!
De Mª. luísa a 7 de Março de 2012 às 14:32
Amiga

És o máximo e dás o máximo!...

As melhoras,

M. Luísa
De M.Luísa a 7 de Março de 2012 às 14:38
Amigo,

Sei que tens toda a razão...

Mas entregar a vida é difícil...

Sinceridade acima de tudo.

Mª. luísa
De poetazarolho a 7 de Março de 2012 às 22:31
“Ideias sem dono”

Não queira que o poeta
Escreva só do interior
Pode uma ideia abstracta
Procurar algo maior

Um poeta pode superar
Tudo aquilo que conhece
Pode mesmo intentar
Contra a vida me parece

Mesmo sem poeta ser
Mas dono de imaginação
Escrever já sem existir

Existir já sem escrever
Alguém roubar sua mão
E usá-lo para se exprimir.
De M. L. a 8 de Março de 2012 às 12:39
O poeta muda o estilo, por vezes, para ter uma imagética maior...

M.L.
De poetazarolho a 6 de Março de 2012 às 21:59
“Boas e más falas”

Boa rima e verdadeira
Penso mas não encontro
Que a verdade semeia
Mentira em contraponto

Verdades já as ouvi
A muito bom mentiroso
E mentiras muitas bebi
Vindas de amigo bondoso

Já não sei mais distinguir
As boas das más falas
Todas tentam conseguir

Um carimbo de verdade
Com a mentira m’embalas
É a história da sociedade.

Prof Eta
De M. Luísa a 7 de Março de 2012 às 14:35
A Sociedade é uma mentira
e nós fazemos parte
dessa sociedade
Quer queiramos ou não!...

M. luísa
De poetazarolho a 7 de Março de 2012 às 01:19
“Palma”

Perda assim não sei
Só me posso calar
Por dentro chorarei
Podendo até sangrar

Sangue saído da alma
Rasga a carne ao passar
Deposito esta palma
Sei nunca irá murchar

Irá para sempre viver
No jardim da eternidade
Por nós jamais esquecido

Com sua chama sobreviver
É a nossa jura de verdade
Jura de amor nosso querido.

Prof Eta

http://maria-made-in.blogs.sapo.pt/40857.html#comentarios
De poetaporkedeusker a 8 de Março de 2012 às 02:22
Dor mais imensa, não há
Nem se pode imaginar...
Das que esta vida nos dá,
É a mais crua a magoar

A maior, a mais intensa,
A que nos rouba a vontade
E vem como nuvem densa
Cobrir toda a felicidade...

E as palavras já me faltam,
Já nem sei o que dizer;
Apenas partilho e sigo

Porquanto estas dores se exaltam
Muito além do nosso ser
E eu já nem sei o que digo...
De M. Luísa a 8 de Março de 2012 às 12:37
Essa e outras...
E eu tanto me custa escrever... e tanto gosto
de o fazer...há muitas dores por aí...

M. L.
De poetaporkedeusker a 8 de Março de 2012 às 18:02
Ah, esta net está completamente louca, hoje...
Sim, por aqui há dores físicas... e muitas, mas eu referia-me, no sonetilho, à dor que partilhei com aquela pessoa que nem sequer conheço e que ficou sem o filho...
Vou ver se consigo publicar antes que a net se "apague" de novo...
Bjo!

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001