Domingo, 22 de Janeiro de 2012

Portugal/ Carta

 

 

Chegou a hora e o momento de te falar Portugal!

 

Ainda estou do outro lado do Oceano, mas ouço notícias.

 

Foste um País brilhante, mesmo no fim da Europa plantado

 

¨Onde a Terra se acaba e o Mar começa¨...

 

E dessa posição brilhante, saíram os sonhos dos Navegadores.

 

 

Deste ao Mundo novos mundos

 

E no Renascimento, foste o Maior

 

Através dos Descobrimentos

 

E do Lusíadas de Luís de Camões.

 

 

Sofreste e sempre venceste,

És um Vencedor!

 

Não tiveste uma continuação desse brilho flamante

Que envolveu os Oceanos escuros e perplexos

Com o Teu canto. Não tiveste...

 

E hoje, depois de tantos Séculos de Glória

E de um Povo que sofreu,

Olhas o Teu destino discutido em Assembleias

Onde se grita sem convicção,

Sem senso, sem caminho e sem brilho. 

 

Meu Amigo, onde estão as pessoas que te amam?

 

Maria Luísa

 

 

publicado por M.Luísa Adães às 20:28
link do post | comentar | favorito
|
67 comentários:
De poetazarolho a 22 de Janeiro de 2012 às 23:57
“Portugal sem dúvida”

Destino triste o desta nação
Discutido em assembleias
Onde se grita sem convicção
País de esquemas e sinistras teias

Sem senso, caminho ou brilho
Esqueceste a quem te honrou
Tempos houve em que muito filho
Por ti partiu, navegou e lutou

Depois de tantos séculos de glória
E de um povo que por ti sofreu
Não sobraram os que te amam

Resta a teia de interesses atentatória
De qualquer que seja o interesse teu
Sobraram os que à tua custa mamam.
De M.Luísa Adães a 23 de Janeiro de 2012 às 15:20
Amigo

Seu poema em resposta ao que escrevi, me comoveu.

É esta a nossa herança e não vejo gente capaz de lhe dar a volta. Não vejo!

Mas tudo muda - eu sei!
Mas as mudanças levam muito anos a passar!

E ninguém pensa no País
e quando gritam pensam mais nos partidos e nas regras desses partidos.

è isso que de tão longe eu vejo.

Obrigada pelos lindos versos.

Abraço,

M.L.
De luadoceu a 23 de Janeiro de 2012 às 14:27
Ola Maria Luisa
As pessoas julgo eu,so as que emigram(e mesmo estas,penso eu),pq teem de ser,ainda amam Portugal
E,u amo de coração e nao estou minimamente tentada a emigrar mesmo que o desemprego me bata a porta, em definitivo no verão, o problema esta nos governantes que nao se preocuparam com ele,(portugal)connosco(portugueses),deixaram nos dividas que temos de ser nos a pagar, eles e que nao amam Portugal,se amasse,cuidavam e nao foi o caso, quem ama, cuida, mesmo sendo os governantes,que estao la pagos para cuidar de quem votou neses, mas continua lindo e com sitios maravilhosos para mostrar e viva a nossa cultura,que agora esta focada em Guimarães,como capital da mesma
Logo,so por isso e muito mais vale a pena ca continuar
C estas de saude Maria Luisa,espero que em recuperação,sempre
Beijinhos....e ate ja...boa semana
De M.Luísa Adães a 23 de Janeiro de 2012 às 16:17
Luadoceu

Grata fico por te encontrar!
Continuo no Brasil, mas ouço as notícias de
Portugal e leio jornais internacionais e sei que o panorama para 2012 é mau!

E vou escrevendo por aqui e tenho dois poetas
que escrevem aqui, em verso e em comentário.

Estou muito melhor, mas no regresso a Portugal continuo a tratar-me.

Aparece pelo Gooogle! Beijos para ti e para a menina e obrigada por te lembrares de mim.
No Sapo és tu e mais três amigos e chega!

Abraço, M. Luísa
De MC a 23 de Janeiro de 2012 às 20:13
Lindo e cheio de sentimento o que dizes,
nesta conversa com o teu País. Adorei!

MC
De luisa_maldonado@sapo.pt a 24 de Janeiro de 2012 às 14:44
Agradeço,

M. Luísa
De M.Luísa Adães a 24 de Janeiro de 2012 às 14:53
Olá

Tenho de conversar com Portugal, pois me parece que toda a gente o esqueceu!

Abraço,

M.L.
De poetazarolho a 24 de Janeiro de 2012 às 00:43
“Navio Europa”

O navio já deu à margem
A Europa ainda se aguenta
Estamos no ponto de viragem
Quando na Europa a água entra

Estando o barco a afundar
O comandante salta borda fora
Mesmo a tempo de se safar
No navio Europa já se implora

Todos imploram o perdão
Pelos pecados acumulados
Rombo no casco foi enorme

É um pesadelo ninguém dorme
Há bocados por todos os lados
No bote alguns se salvarão.

Prof Eta
De poetazarolho a 24 de Janeiro de 2012 às 00:49
“O trilho”

De ontem já me esqueci
De amanhã não me lembro
Ao dia de hoje sobrevivi
Tomara já em Dezembro

E mais um ano passado
A pesar na minha conta
Será da vida um recado
Será da vida uma afronta

Sempre atento aos sinais
Muito atento a cada filho
Sempre olhando os demais

Caminhando se faz o trilho
Sempre em busca de ideias
Muita vida, muito sarilho.
De poetaporkedeusker a 24 de Janeiro de 2012 às 14:27
Pois eu, que já tenho pouca
Dessa mesma humana vida
Ensarilhada e tão louca,
Fica na mesma, envolvida...

Surgiu a brilhante ideia
De nos sujeitar à Junta!
Se a dignidade escasseia,
Em breve estará defunta!

Não sei onde devo ir
Ou se posso lá chegar,
Nem o que devo fazer

Sei que tenho de sair
Pr`a me tentar informar
[claro está, se alguém souber...]


Abraço grande, Poeta! Saio dentro de momentos para a consulta do centro de saúde e para saber como proceder perante essa "novidade" da junta médica... depois - amanhã? - lhe conto das novidades do aumento de quase 200% na "continha" da EDP... este país está a ficar surrealista!!!
De poetaporkedeusker a 24 de Janeiro de 2012 às 14:31
Pobre Portugal nas mãos de tecnocratas pouco inteligentes e nada verdadeiros! Pobre povo que vai perdendo identidade e dignidade!
Abraço grande, amiga!
De M.Luísa Adães a 24 de Janeiro de 2012 às 14:48
É tudo quanto tens a dizer sobre a minha conversa com Portugal?

Abraço e obrigada por tudo,

M. Luísa
De poetaporkedeusker a 25 de Janeiro de 2012 às 15:21
Não, Maria Luísa, não era tudo. Era apenas o suficiente para te dar a entender que estava com poucos segundos para te responder pois tinha consulta marcada no ACES de Oeiras. Estou muito mais limitada, amiga e mal tenho tempo para escrever, eu mesma, acerca de seja o que for.
Achei lindíssima esta tua forma de te dirigires ao país, quase como quem se dirige a um filho doente... ou aprisionado.
Deixo-te um enorme abraço, esperando que possas estar um pouco melhor do que eu, em termos de saúde.
De M.Luísa Adães a 26 de Janeiro de 2012 às 14:37
Obrigada amiga, por me entenderes e sempre me aceitares! Ti amo (como diz a minha neta)

Abraço,

M. L.

De poetaporkedeusker a 26 de Janeiro de 2012 às 16:13
Amiga, as coisas vão ficar ainda mais complicadas... na próxima segunda feira tenho consulta no hospital e o mesmo no dia seguinte... não sei bem como vou fazer isto, mas vou tentar comparecer... tem de ser. Isto significa muitos dias sem qualquer tipo de acesso online... enfim, terei mesmo de ir a estas consultas.
"Ti Amo", como diz a tua netinha! :)
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:10
Sei pouco do que se passa, mas me parece que tens de ir a uma junta para apresentar a tua doença.

´É isto que penso? Se é, ainda estamos pior do que eu pensava.

Somos notícia por todo o mundo!

Ontem tive outra recaída e recorri de novo aos medicamentos que trouxe de Portugal.

Como vou aguentar a viagem de volta?

Ti Amo,

M.L.
De poetaporkedeusker a 30 de Janeiro de 2012 às 15:08
Olá, amiga! Finalmente cheguei do hospital... mas estou de gatas. Quase nem consigo por-me de pé e custa-me até estar sentada.
É exactamente assim, conforme muito bem percebeste. Só estou à espera de que saia a legislação por escrito - segundo me informaram - e, depois, terei de ir a uma junta médica. Mas a minha coluna também não está nada bem... esta médica de Oeiras, pediu-me vários rx de coluna, nova osteodensitometria e um electromiograma pois está convencida de estes espasmos nas mãos - fico com elas inimaginavelmente deformadas e, mais tarde, voltam ao lugar - são provocados por pequenas (?) lesões vertebrais... ainda não marquei estes exames... vou ver se o consigo fazer amanhã, por telefone, em casa de uma senhora amiga.
Que maçada teres tido essa recaída! Tenta uma consulta médica por aí, se não te sentires melhor dentro de poucos dias. Eu sei bem que é uma dor tremenda!
Tenho tudo numa confusão por causa destes dias que estive sem acesso... e estou tão cansada...
Um enorme abraço e que melhores muito, muito rapidamente!
De jabeiteslp a 24 de Janeiro de 2012 às 16:43
olá

pois, isto por aqui
é como se de claves em si....


desculpa só agora aparecer....

beijinhos
De M.Luísa Adães a 26 de Janeiro de 2012 às 14:34
Jabei

Te escrevi no teu blogs como um lamento de quem não entende nada!

Que se passa amigo? O mundo ficou do avesso e as pessoas ficaram como o mundo?

Me diz!...

Abraço grande,

M.L.
De jabeiteslp a 26 de Janeiro de 2012 às 15:30
será do frio e da crise
tudo ao avesso como a maioria quis....


beijinhos e um grande dia pra ti
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:31
É isso, mas não responde a nada!

Abraço,

M.L.
De jabeiteslp a 28 de Janeiro de 2012 às 13:53

sei que sabes que o mundo regride
e todas estas situações
descontrolam-se ao sabor do vento
para ser poético....


que as melhoras regressem ao teu dia a dia
beijinho e feliz fim de semana
De M.Luísa Adães a 28 de Janeiro de 2012 às 20:18
Jocas

Verdade o que dizes, mas é triste, amigo e me custa a aceitar.

Mas as minhas melhoras
Estão em primeiro lugar.

M.L.
De jabeiteslp a 28 de Janeiro de 2012 às 23:41


cuidado com as piranhas...
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:12
Nunca é tarde!para aparecer!

Beijo,

M.L.
De jabeiteslp a 28 de Janeiro de 2012 às 13:54
De M.Luísa Adães a 28 de Janeiro de 2012 às 20:15
Linda flor pa mim e o País onde as flores brotam e se transforma em árvores.

Abraço,

M.L.
De jabeiteslp a 28 de Janeiro de 2012 às 23:38
já duvido

De Eduardo Daniel Cerqueira a 24 de Janeiro de 2012 às 16:53
Beijinho Luisa.
De M.Luísa Adães a 26 de Janeiro de 2012 às 14:18
Olá meu querido Edu,

Assim que voltar a Portugal vou ao teu blogs!

Abraço e obrigada,

Maria Luísa
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2012 às 23:07
“Carnaval social”

Existe um fórum social
Quem diria, não se nota
Um ministro de Portugal
O do Audi era o da mota

Em Porto Alegre há clamores
Dizem a justiça anda mal
Já ribombam os tambores
Prepara-se o Carnaval

Para o tempo dos calores
Será a condizer a rainha
Socialmente nada a opor

Mas já surgiram rumores
Que mostrará a bundinha
Já não há qualquer pudor.

Prof Eta
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:14
Essa de¨ bundinha¨ me cheira ao Brasil.

Mas que o assunto é muito mauu - É!

Abraço,

M.L.
De poetazarolho a 26 de Janeiro de 2012 às 23:15
“X Troika”

Para que haja quem mate
Tem que haver quem morra
Repicam os sinos a rebate
À espera que a gente corra

Já ninguém está para correr
Numa guerra que é insensata
Sabem que têm que morrer
Pois já chegou quem mata

De olhar vazio e profundo
Ordenaram a mortandade
Que foi alvo de negociação

Com os responsáveis da nação
Que ordenaram a austeridade
Passaporte para outro mundo.
De poetaporkedeusker a 27 de Janeiro de 2012 às 11:47
Não estou, nem nunca estarei,
Lá muito vocacionada
Para "rainha" ou pr`a "rei"
De governos de fachada...

Alguns estarão, quero crer,
Muito mais bem preparados
Pr`ó que possa acontecer
Nestes tempos mal parados...

Quanto a mim, bem consciente
Das minhas limitações,
Mantenho o perfil discreto

De quem não quer, nem consente,
Ver irmãos aos trambolhões
Num desgoverno completo...


De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:17
Amigo

Para isso se criaram as Asembleias onde os destinos do povo são jogados....

E os dados estão lançados!

Abraço,

M.L.
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:17
Amigo

Para isso se criaram as Asembleias onde os destinos do povo são jogados....

E os dados estão lançados!

Abraço,

M.L.
De M.Luísa Adães a 27 de Janeiro de 2012 às 17:18
Retifico ¨Assembleia¨!

M.L.

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001