Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011

Londres / Inglaterra

           

 

 

Londres / Casas do Parlamento e Big-ben

 

 

Extrema-direita inglesa prepara-se para confrontar amotinados...

 

 

A Liga de Defesa Inglesa que o autor do duplo atentado de Oslo, Anders Behring Breivik,

referiu como inspiração na carnificina.

 

O lider da Extrema-direita, Stephen Lennon diz, segundo as noticias do ambiente extremista

 que se vive na Inglaterra "

 

"Vamos parar os motins  -  é óbvio que a policia não consegue fazê-lo!"

 

 

Manchester regista piores motins dos últimos 30 anos.

 

Homem de 26 anos baleado num automóvel, foi a primeira vitima mortal da vaga de violência.

 

O problema é grave

O mundo está em transformação

E as transformações até se aquietarem

Fazem muitas vitimas

E causam grandes sofrimentos.

 

E dada a confusão, estas situações se podem arrastar a outros países com problemas e Portugal,

pode ser atingido por um mal igual... 

 

Isso eu temo! Por essa razão estejamos atentos...

 

O mal não atinge, apenas, a casa dos outros

Pode também atingir a nossa casa!

 

 

Maria Luísa

 

 

 

http://simplesmenteborboleteando.blogspot.com

 

Oferta ao http://os7degraus.blogspot.com

 

13 de Agosto de 2011/ Agradeço, M. luísa

publicado por M.Luísa Adães às 09:44
link do post | comentar | favorito
|
47 comentários:
De jabeiteslp a 10 de Agosto de 2011 às 10:24

uns bons tiros com cartucho de sal
só faria muito bem
mas tambem muito mal..
dor
que ´é o que estão a provocar...enfim

um feliz e belo dia para a minha amiga e bela
Luisa...jocas dos calhaus
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 17:10
Jocas

A continuar ,
pode arrastar até Portugal...

Uma dedução óbvia!

Um beijo,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 10 de Agosto de 2011 às 18:26

duvido

mas mesmo assim
wue tenha fim...

regras são regras
e acho que para todos...é esse o problema
que até não é
e pergunto-me

quem vai arcar ?

uma bela tarde Luisa
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 18:40
jabei

Também tens as tuas razões!

Falta saber e conhecer o âmago da questão.

Eu como poeta
tento responder a outro poeta,
seguindo a minha linha de pensamento.

Um abraço amigo,

Maria luísa
De jabeiteslp a 10 de Agosto de 2011 às 21:55

penso eu e aplica-se a qualquer
seja que constituição
as regras são o que são....

é caricata esta e tantas outras
e pergunto-me

vamos começar a comprar armas...?

na América são como são
aqui não....


beijinhos Luisa
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:52
Jabei

Gosto da tua sensatez e da tua calma!

Isto por aqui está complexo e eu estou de férias
e pouco tempo tenho, para refeletir e responder.

Não vamos comprar armas! Em pleno século XXI os problemas têm de se resolver pelo diálogo e não por uma euforia que conduz ao
caos. E o caos está instalado!

Não me digam "Que Futuro?"

Resolvam o presente! Até crianças de 10 anos,
andam cheios de inconsciência, comandados por quem se encontra na sombra e eu não sou politica, sou poeta!

Um beijo amigo,

Mª. Luísa

p.s. que fazer?ainda bem que escreveste...
De jabeiteslp a 12 de Agosto de 2011 às 10:42

politiquices
a não por ordem
só por uns quantos votos....enfim

jocas que eu acabei de resolver
um problema com os formatos dos filmes...ufff
a partir de agora só 16-9

belo dia pra ti

De M.Luísa Adães a 13 de Agosto de 2011 às 13:02
Continuando a fazer o que gostamos, aprendemos a perfeição.

É o teu caso, com as descobertas que vais fazendo. Parabéns!

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 14 de Agosto de 2011 às 10:54
uma bela manhã Luisa...

deixo-te algo que vais gostar

http://www.youtube.com/watch?v=RMFThDOGpBc
De M.Luísa Adães a 15 de Agosto de 2011 às 09:37
Teu vídeo é muito bom. Adorei!

Em tempos fiz parte de algumas festas no campo, outras na praia (a maioria na Arrábida). Gostava delas e do convivio, onde sempre alguém cantava o Fado de lisboa.

Agora, assisto a festas em quintas de amigos,
mas não é a mesma coisa...

Obrigada por enriqueceres este recanto, de
que tanto gosto.

Maria luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 10:59
“Bar.afunda”

Em Londres soltam os cães
Em Nova York bolsa afunda
No forno da aldeia cozem pães
Minha rua está uma barafunda

O pastor conduz o rebanho
Pr’a pastagem do outro lado
Bombista em Roma, já t’apanho
Em Paris o rating foi cortado

Wall Street viu um fantasma
Ó freguês olha a vivinha da costa
Na City gato preto foi avistado

Correctores têm ataque d’asma
Sardinha na brasa, quem não gosta
Mundo da finança anda azarado.

Prof Eta
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 17:47
Poeta ( I )

Os disturbios continuam
em várias cidades inglesas.

Violência
confrontos
policia
pilhagens.

O vulcão
estava prestes a transbordar
e transbordou.

As cinzas sulcam o ar
e se encaminham
para toldar,
a pobre paz do Universo.

O firmamento mudou de cor
de vermelho e negro se pintou
E aguardou, a tormenta a passar ...

Maria luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 11:02
“Fogo distante”

Londres é fogo que arde e se vê
Há ali porém uma face escondida
É a face que não mostram na TV
Mas nós pressentimos essa ferida

Tem por base a clivagem social
Originada na sociedade dividida
Por força do acumular de capital
Pobre pr’ó gueto, rico pr’avenida

Fogo que arde, mas não se sente
Fumo que se vê, mas não se cheira
Destruição real, mas muito distante

Esta preocupação nem é com a gente
Se não atacada sua causa verdadeira
Abeira-se de nós num curto instante.
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 18:06
Poeta ( II )

O fogo arde e se vê
as nuvens de cinza
andam no ar
o Firmamento aguarda...

Se vestiu de vermelho e negro!

Vultos negros correm
sombras caminham sem abrigo.

A tormenta se espalha
lojas se incendeiam
carros atingem casas.

Blindados
patrulham as ruas
a população se defende
não sabe viver...

As sociedades se dividem
e o fogo arde
sem se ver
e os extremos se aproximam.

A verdadeira causa se escondeu...
Se não atacada no seu âmago
Chega junto com as cinzas
às nossas casas!

Maria luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 14:09
OUTRAS VIAS

Por mais que chames e grites,
que batas o pé no chão,
que clames e te irrites,
que cheges à exaustão,
que acabes por ficar rouco,
que endureças a luta,
eles, os filhos da puta
vão sempre chamar-te louco.

Para atingires nova meta
seguindo por outras vias
só como O Grande Profeta:
junta doze dos mais rudes,
sem grandes aptidões,
fala-lhes todos os dias,
molda-lhes as atitudes
e, em breve, serão milhões.

Eduardo
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 18:22
Poeta,

Podes chorar
podes clamar por justiça,

já ninguém ouve teu pranto
já ninguém vê
tuas lágrimas que não caem...

O céu se encheu de nuvens
as vozes são poderosas
multiplicadas,
pelos assombros de quem passa.

Ó fogo silencioso e brando
Deixa-me passar!...

Esta não é a minha casa!

Maria luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 14:17
Alguns residentes contaram à Associated Press que os homens que morreram tinham entre 20 e 31 anos e pertenciam à comunidade imigrante (do sul da Ásia) radicada na cidade de Birmingham.

«Não estavam à porta de uma mesquita, nem de um templo, nem de uma sinagoga, nem de uma igreja. Estavam junto a lojas onde toda a gente vai. Perderam as suas vidas por outras pessoas, fazendo o trabalho da polícia», disse Mohammed Shakiel, que testemunhou o atentado.

http://sol.sapo.pt/inicio/Internacional/Interior.aspx?content_id=26103
De M.Luísa Adães a 10 de Agosto de 2011 às 18:35
Poeta

Morreram...
não estavam à porta!

Estavam junto a outros locais
onde toda a gente vai.

Aqui ficaram suas vidas
e o silêncio chorou
por aquelas vidas
e eu chorei sentindo a partida...

Aqui fica minha dor
sobrevivendo ao instante
que passou...

À comunidade emigrante do Sul da Ásia
radicada na cidade de Birmingham que
fazia o trabalho da polícia.

"Ver texto acima!

Maria Luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 22:48
“Que futuro?”

Liberta teu pensamento
Ser escravo não é opção
Sobra tempo pró lamento
Falta tempo pr’a solução

Somos água setenta por cento
E o resto é uma maldição
Temos na pele um pigmento
Determinará nossa condição?

Se é amarelo atrás dele já
Se é negro sai bastonada
Se está roxo já podes parar

Peles vermelhas já não há
Se é branco não faças nada
Que futuro iremos alcançar?
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:41
Poeta

Para mim só existe o momento Presente!

O Futuro não nos pertence, nem a nós, nem a ninguém, apenas a Deus ele pertence...

E neste momento, temos de pensar em resolver o Presente,

Deixemos o Futuro...

Mª. Luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 23:04
“Poema chamuscado”

Este poema está em crise
Por isso tem rating da treta
Dizem tratar-se dum deslize
E afectou o rating do poeta

Este poema está queimado
Mercê dum tumulto gráfico
E o poeta saiu chamuscado
Ficou o registo fotográfico

A poesia está sem soluções
Pr’ás incertezas do presente
Por isso não vos posso valer

Viva a ditadura dos cifrões
Que chupa o tutano à gente
Chamando a si todo o poder.

Prof Eta
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 09:34
Poeta

Nada de desãnimos e aguardemos
Nada podemos fazer!

E o poeta não está "chamuscado"
apenas um pouco conturbado!

Mesmo sem Futuro
Vivamos o Presente!

É no Presente que está a nossa casa,
a nossa vida,
os nossos sonhos,
a nossa ânsia de verdade!

Um abraço,

Mª. Luísa

p.s.estou com pouco tempo, mas vou tentando fazer o que posso, como seja,
responder ao que escreve para o mundo
e do qual usufruo também.
Estou de férias, mas tenho pc e pouco tempo!
De poetazarolho a 12 de Agosto de 2011 às 11:19
Obrigado por mesmo assim responder, já que o mundo não me liga nenhuma.
De M.Luísa Adães a 13 de Agosto de 2011 às 12:55
Poeta

Do mesmo mal me queixo!

"O mundo não me liga nenhuma",

Mas não importa,
Eu sei que nasci na época errada!...

Um abraço,

Maria luísa
De poetazarolho a 10 de Agosto de 2011 às 23:11
De M.Luísa Adães a 13 de Agosto de 2011 às 12:58
Lindo de morrer!Ave-Maria de Schubert...

Obrigada pela gentileza,

Mª. Luísa
De poetazarolho a 11 de Agosto de 2011 às 19:35
“Adapta-te”

Se esta sociedade falhar
Foi o indivíduo que falhou
Cansado de tanto tentar
E a sociedade não singrou

Outro modelo por encontrar
Será a sociedade do futuro
E para isso vamos trabalhar
Prevejo que seja no duro

Sociedade será diferente
Disso nem podes duvidar
Esta falhou a outra não falha

Que venha ela simplesmente
O indivíduo vai-se adaptar
Nem que seja a da metralha.
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:26
Poeta

A sociedade falhou
tal como diz

E o povo se conformou
e o povo se conforma sempre
e chora, clama e grita,

Mas nunca é ouvido
ou escutado
ou entendido

E morre...
com as armas dos outros!

Não tem outro destino

Mª. luísa
De poetazarolho a 11 de Agosto de 2011 às 19:43
Bethania - Poema do Menino Jesus - Fernando Pessoa

http://www.youtube.com/watch?v=gWI1gs0dJYk
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:06
Aconselho ler Bethania - vídeo acima.

Mª. Luísa
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:29
Afinal, o poema é muito lindo e Bethania diz,

como ela sabe dizer.

Contesto os comments no youtube!

Mª. Luísa
De M.Luísa Adães a 12 de Agosto de 2011 às 08:11
No entanto o vídeo de Bethania , baseado nos versos de Fernando Pessoa é bastante contestado! "Ver comentários no youtube".

Mª. Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001