Quinta-feira, 14 de Julho de 2011

Facundo Cabral

 

 

 

 

 

"Llorar por la muerte

es faltarbe el respeto a la vida"

 

(Facundo Cabral)

 

 

O cantor argentino Facundo Cabral foi assassinado no sábado,

dia 9 de Julho de 2011, na Guatemala.

 

Facundo Cabral ganhou fama durante os tempos de protesto nos anos 70 argentinos.

 

O cantor de intervenção deixou para a história muitas edições nas quais se destaca,

 

             "No soy de Aqui ni Allá"

 

Em 1996 foi considerado "Um mensageiro da paz mundial" pela Unesco.

 

Nos espetáculos de Cabral havia um diálogo quase intimista com o público,

a companhia de uma guitarra e mais narrações do que música.

 

Me gusta el mar el fuego que te delata

Alejandria y los antiguos piratas

El nascimiento permanente en Manhattan

Y el desenfado de los blues.

 

No soy de aqui, ni soy de allá...

 

No tengo edad

Ni porvenir

Y ser felizes

mi color de identidad.

 

Facundo Cabral

 

Assassinado aos 74 anos na Guatemala.

 

Paz à sua alma!

 

Maria luísa Adães

 

 

 

 

                                    http://lagatacoquetta.blogspot.com


 

Com todo o carinho para Maria del Carmem, no próximo dia 16 de Julho, será o dia de tua Santa Carmem.

 

Pela tua presença, pela tua amizade e pela tua crença, eu te admiro na Peregrinação de tua Vida. Te Ofereço

o pouco que sou e o pouco que sei!

 

Maria Luísa

 

http://os7degraus.blogspot.com

                                                      

 Oferta pelo dia de Santa Carmem  / http://lagatacoquetta.blogspot.com

 

Com o mesmo sentimento de ternura e amizade, agradeço e desejo Dia Feliz. 

 

Maria Luísa                           

 

 http://os7degraus.blogspot.com

                                                                         

 A minha Gardenia floresceu e envio a mais bonita

 

Eduardo F. Munõz

 

http://lavocal.blogspot.com , oferta ao blogs http://os7degraus.blogspot.com

                                                                                              

 

 

                                                                           

http://aviagem2.blogspot.com

 

Oferta ao http://os7degraus.blogspot.com

 

19 de Julho de 2011

publicado por M.Luísa Adães às 14:40
link do post | comentar | favorito
|
37 comentários:
De jabeiteslp a 14 de Julho de 2011 às 15:22

Macabras perseguições Luisa...

uma feliz tarde pra ti


De M.Luísa Adães a 14 de Julho de 2011 às 16:26
Jabei


"Macabras perseguições" é certo!

Não podia deixar passar!...

Um beijo e obrigada,

Mª. luísa
De jabeiteslp a 14 de Julho de 2011 às 20:13

Uma bela noite pra ti

"No tengo edad

Ni porvenir

Y ser feliz

és mi color de identidad...


Seria um grande...sem dúvida...


De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:02
´
Seria um grande homem e o mataram!...

Quem o matou?

Maria Luísa

De jabeiteslp a 15 de Julho de 2011 às 20:49
o sistema ?
acho que não...

algum parvalhoide incomodado

dos tantos deste mundo...

acredita que há mesmo parvalhoides
a esse nível...


feliz noite Luisa
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 10:39
Jabei

Posso acreditar que sim!...

Obrigada,

Mª. Luísa
De Rosamari a 14 de Julho de 2011 às 22:31
nosotros nos unimos a ese lamento,
un fuerte abrazo
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:13
A notícia me tocou o coração.

Não podia deixar de o colocar neste lugar,
esta é a minha modesta Homenagem ao homem e ao poeta que foi considerado
" Um mensageiro da paz mundial"

Obrigada por te juntares a mim e a tantos
por esse mundo que sentem a dor e o assassinio, como nós sentimos.

Eu estou com ele, com os muitos amigos, contigo que és minha amiga e contra a violência que mata quem luta por uma sociedade mais justa e melhor.

Um abraço,

Maria Luísa
De poetazarolho a 15 de Julho de 2011 às 00:33
“Vomito da humanidade”

O miradouro da humanidade
Nascerá em breve, é preciso
Para mirar tanta desigualdade
Não sei se miro, estou indeciso

Já me decidi, não irei mirar
Prefiro a mais pura ignorância
Prefiro nem sequer me ralar
Prefiro o lado da abundância

Mas para quem quiser lá subir
É no mosteiro da Serra do Pilar
Poderão a humanidade avistar

E se calhar até conseguirão ouvir
Uns humanos com fome a gritar
Outros de barriga cheia a vomitar.
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:56
Poeta

Eu prefiro olhar
Tanta desigualdade
Não quero esquecer
E libertar-me da culpa
De quem passa e não vê!

Sem saber que dizer
Sem saber que fazer.

Subo à Serra del Pilar
E avisto a humanidade
E daí posso perceber
Os que têm fome e sede...

E não têm comer
Nem beber...

E como poeta que sou
Talvez possa pedir,
Volta Facundo Cabral
E ajuda-me a perceber...

Maria Luisa Adães
De poetazarolho a 15 de Julho de 2011 às 00:51
“Partida”

Gracias a la vida
Esta vida vivida
E agora morrida
Sem uma despedida

No soy de aqui
Ni soy de allá...
Quem compreenderá
Porque parti?

El mundo estaba tranquilo
Quando yo naci
Muitos tenho incomodado

Ajudei à mudança de estilo
Por isso já não estou aqui
Por isso sou agora assassinado.
De poetazarolho a 15 de Julho de 2011 às 01:02
Errata, onde s lê "E agora morrida", deve ler-se "E agora a partida".
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:19
Poeta

"Partida"

É de uma beleza e sensibilidade que me apetece trazer ao cimo. Merece o cimo!

E vou tentar emendar a "Errata"
Torno a escrever!

Maria luísa
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:35
Poeta

Não posso emendar, mas as pessoas entendem
e eu também.
Amei teu poema!

"Ajudei à mudança de estilo
Por isso já não estou aqui
Por isso sou agora assassinado"

É esta a verdade! Lutar por um mundo melhor e mais justo - pode trazer a morte!

Obrigada, poeta amigo.

Mª. Luísa
De poetazarolho a 15 de Julho de 2011 às 23:25
“Partida”

Gracias a la vida
Esta vida vivida
E agora a partida
Sem uma despedida

No soy de aqui
Ni soy de allá...
Quem compreenderá
Porque parti?

El mundo estaba tranquilo
Quando yo naci
Muitos tenho incomodado

Ajudei à mudança de estilo
Por isso já não estou aqui
Por isso sou agora assassinado.


Cara amiga aqui fica com a correcção e um particular agradecimento pelas elogiosas considerações.
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 18:31
Partida

Está completa!

Os versois são seus, Poeta, ou são de
Facundo Cabral?

E agradeço o agradecimento, mas só disse a verdade!

Maria Luísa

Abraço
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 18:33
Errata "Versos"em vez de versois. Me desculpe.

Mª. Luísa
De poetazarolho a 16 de Julho de 2011 às 21:49
Os versos são meus, incorporam uma citação do autor, um título de um seu disco e o meu sentimento acerca do acontecimento por si noticiado aqui no blog, já que o Facundo Cabral eu não conhecia, mas já deu para perceber que é um homem com uma dimensão enorme, já agora conhece o Lluís Llach ? É soberbo também !
De M.Luísa Adães a 17 de Julho de 2011 às 09:43
Ele foi considerado "O mensageiro da Paz Mundial" pela Unesco.

Foi um homem inquieto num mundo de
inquietação e na Argentina nos anos 70, ele protestava com Ela

Seus versos, a guitarra e ele, falavam e cantavam de forma intimista para o público que o rodeava. Era um diálogo que ele transmitia.

Foi um poeta que tentou dar ao seu mundo
uma luz que não havia e eu, quando soube do seu assassinato na Guatemala o trouxe a este recanto intimista, onde não tenho seguidores,
mas tenho muitas flores oferecidas por amigos
a maior parte espanhois.

Neste blogs, encontra muitos factos recentes.

Um dia com tempo, o percorra e os encontra...
são alguns e poetas também.
Parti para este blogs, fechei o principal no sapo, deixei este e me congratulo por isso.

Neste momento tenho no google :

http://os7degraus.blogspot.com

onde escrevo poesia e é 0 blogs principal.
Interessante também!

Lindos os versos que me enviou e eu agradeço.

Não conheço Lluís Llach!...

Obrigada por sua amizade,

Maria Luísa Adães
De poetazarolho a 16 de Julho de 2011 às 00:42
“Pleno vazio”

A morte sempre encontrarás
Mesmo tendo imensa sorte
Aqui deste lado não ficarás
Contas ajustarás com a morte

Se lutas por o mundo mudar
Se sentes o dever cumprido
Quando a morte te vier buscar
Verás o caminho teve sentido

Teve o sentido da vida plena
E de uma procura incessante
Em concluir a obra inacabada

Se assim não foi é uma pena
Terá sido o caminho errante
Da vida pl’a morte esvaziada.
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 11:06
Poeta

No silêncio procuro-Te
Nos outros Te encontro!

E olha o que te posso mostrar...

Apenas deserdados trémulos que sofrem
o estranho e cruel fenómeno deste tempo,
apenas eles a quem ninguém escreve...

E talvez choremos ambos,
Tu por veres os Teus filhos perdidos
Eu por saber que nada posso fazer.

Torno a suplicar-te...deixa de ser um sonho
E ajuda a transformar o que Te pertence.

Para que o caminho não seja perdido
E a vida não tenha sido errante.

Maria Luísa
De La gata coqueta a 15 de Julho de 2011 às 15:15

Mi querida y extraordinaria amiga Maria Luisa; tu me has acercado la tibieza de un solicito corazón y la expresión de paz de tu alma a través de la palabra, que va siendo una antesala del afrodisiaco sentido de la amistad.

Te quiero y admiro porque siempre has sabido estar ahí como en la penumbra, pero la luz que irradias es tan profunda que la necesito de veras para seguir caminando...

María del Carmen

(Gracias por estar a mi lado en estos días tan especiales)

TQ.
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 19:43
Maria del Carmem

Obrigada pela beleza de tuas palavras!

Reconhecida agradeço estar a teu lado e fazer
parte de tuas amizades.

Com ternura, te desejo dia feliz.

Maria Luísa Adães
De poetazarolho a 15 de Julho de 2011 às 15:44
“Ergue-te Zé”

Ai coitadinho do Zé Povinho
Jaz quase morto, esticadinho
Nas vielas dum triste caminho
Ergue-te Zé, não sejas tolinho

Anda aqui beber um copinho
Este brota directo do jarrinho
Vai do branco ou do tintinho?
Qualquer um te faz rosadinho

Quanto estiveres bem regadinho
Faz-lhes aquele gesto perfeitinho
Irão perceber num instantinho

Que o nosso manguito é potente
Pensarão duas vezes certamente
Antes que se metam com a gente.
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2011 às 20:07
Poeta

E o Zé a teu pedido
se val levantar.

Talvez beba um copito
para alegrar.

E sem estar bem regadinho
Ele pode mostrar
Rafael Bordalo Pinheiro
Naquele gesto
Tão honesto!

Maria luísa
De Rosamari a 16 de Julho de 2011 às 10:47
que bonito !
MªLuisa,
besitos
buen fin de semana
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 16:29
Obrigada por gostares!

Bom fim de semana para todos e gatitos também.

Mª. Luísa
De Eduardo F. Muñoz a 16 de Julho de 2011 às 12:57
Un homenaje bien mercido. Es imposible comprender tanta insensatez humana.
Um abraço
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2011 às 13:12
Assassinar quando se diz "não matarás",
é apanágio da natureza humana.

Luther King disse :

"Eu tive um Sonho"...

E o mataram por esse sonho que já se realizou.
Um negro, como Presidente dos Estados unidos da América.

"Llorar por la murte
es faltarbe el respeto a la vida

" Facundo Cabral"

E em face disto, deixei a minha Homenagem e daqueles que me escreveram e visitaram sem escrever.

As flores foram ofertas para mim e simbolizam alegria e a vida que "Facundo Cabral", tanto adorava.

Um beijo e obrigada,

Maria Luísa

De poetazarolho a 17 de Julho de 2011 às 10:53
“Intermitências”

Nas intermitências da vida
Muitas dúvidas te assaltam
Se levas uma vida sofrida
Há coisas que te revoltam

Nas intermitências da morte
Vês as coisas com clareza
E agradeces a imensa sorte
Do gesto que trás nobreza

Nobreza não vem do título
Tão pouco to dá a riqueza
Vem do coração certamente

Onde cada dia é um capítulo
Pleno de gestos raros e beleza
Que só um coração nobre sente.
De M.Luísa Adães a 18 de Julho de 2011 às 19:04
Poeta,


Gostei das intermitências da vida

E das intermitências da morte

E do sentimento de nobreza
que não dá riqueza
e vem do amor que sonhamos.

E cada dia é um capítulo
do livro das nossas vidas.

Não apenas da minha vida,
Mas da vida de todos os poetas!

Com carinho, adorei seus versos,

Maria Luísa Adães
De poetaporkedeusker a 18 de Julho de 2011 às 11:32
Não é fácil conceber que ainda se possam assassinar pessoas assim, quase "por dá-cá-aquela-palha"... e é tremendo descobrir que sim. Muito bem assinalado o assassinato de Facundo Cabral.
De M.Luísa Adães a 18 de Julho de 2011 às 18:51
Obrigada por reparares na razão enorme
(para mim) da existência deste blogs que está
aberto aos visitantes e a amigos especiais.

Sem aderir ninguém, pretendi aderir todos!
E assim o fiz!...

Obrigada por Facundo Cabral!

Maria Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001