Terça-feira, 7 de Junho de 2011

(Teatro I ) Quatro Personagens

                                                                                                     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

 

 

 

 

 

 

     

 

A peça em sete atos

No palco quatro personagens.

 

 

 

Um gato-branco

Uma gata-preta,

Narrador e seu amor

Criaturas humanas.

 

Sete notas musicais

Se diluem no espaço...

 

Que conteúdo estranho

A ser representado.

 

 

Narrador :

 

 

Olho os vários mundos

Os ventos sopram frios,

Reconheço o Infinito

As estrelas brilhando

Uma Lua sorrindo

O luar descendo

Iluminando.

 

Os personagens se movem

Tomam seus lugares.

 

Os Deuses se admiram,

Abrem seus olhos

E escutam o canto

E todo o Universo

Se queda em silêncio.

 

E cada personagem

Elevada na noite imóvel

Ama,

Nos símbolos e enigmas.

 

 

Maria Luísa Adães

 

 

 ... a continuar...

publicado por M.Luísa Adães às 16:31
link do post | comentar | favorito
|
29 comentários:
De MIGUXA a 7 de Junho de 2011 às 22:01
Maria Luísa,

Lindo o cenário que nos descreves com a mestria do poeta que há em ti...

Amei!!!

Te aguardo minha amiga

Beijos com ternura
Margarida

De M.Luísa Adães a 8 de Junho de 2011 às 10:58
Obrigada.

A espécie de saga vai continuar, embora o blogs não seja o melhor. Depois se verá...

Tem um longo historial a razão destes "7gatos"
que só agora, comecei a publicar.

Não sei que se passou com o artista de cartoons
que me pediu...mas pressinto coisas estranhas
por detrás do pedido.Até não são o meu estilo.

Assim, eles também vão ao Google. "Marcar Presença"!

Vai reparando na história que conto...

Se os versos fossem mais fáceis editava, um
livro pequeno, mas não servem para crianças.

Mais tarde, se Deus o permitir, os mando editar, através do Vereador da Cultura de Almada, como este último livro que já foi entregue à CMA (pagou edição e comprou 50
exemplares).

Não ficou tão bem como os outros, a nível de impressão, mas vai assim...
As minhas ausências, não deixam acertar data de lançamento ao público. Ainda não falei com a Editora, pois a minha 1ª. Editora
HUGIN - fechou e muitas mais fecharam e já
encontrei em Almada, " livros em saldo".

Época errada para o poeta a não ser que, eu
tivesse ido para um partido politico (há dez anos) e só fui para a APE.
Os outros esgotaram, estão em várias bibliotecas e no Museu Sebastião da Gama, em
Azeitão...longa história...mas eu não luto nada - não me interessa...há dez anos o poderia ter feito...mas aceitei e não lutei...

Nunca me interessou a tal rua com o meu nome...e deixei andar...como faço com tudo!

Sabes? Também lutei muito e me cansei de
lutas. E houve sempre alguém a afastar-me
do caminho, por maldade...e as tertúlias estão
cheias de invejas e eu fiquei só, com este dom
que Deus me deu. E me tornei indiferente e
perdi meu tempo.

Agora é tarde para o mundo...também tive hipóteses de editar no Brasil (tinha editor),
mas São Paulo não é o eldorado que os
portugueses imaginam. Pura ilusão! E desisti!

Podia ter feito muita coisa, mas tinha de mudar e eu só mudo, o que sinto estar errado.

Pequeno desabafo!
Vou passar por ti... e quando o livro for lançado,
estarei contigo, se me quiseres...

Não te vendo o livro, mas te ofereço pessoalmente - não sei quando...

Um beijo e obrigada,

Maria Luísa
De MIGUXA a 8 de Junho de 2011 às 23:01
Amiga,

Obrigada por me achares merecedora dos teus desabafos, compreendo-te...e estarei sempre aqui para te ouvir...
Não entendo este nosso país a perder-se, perdendo os génios que se vêem obrigados a desistir dele...

Teria imenso prazer em te encontrar...

Beijinhos com carinho
Margarida
De M.Luísa Adães a 9 de Junho de 2011 às 08:26
Margarida

Agradeço tua verdade...é tão difícil de encontrar...e quando encontramos...
é tarde!

Com ternura,

Maria luísa
De Caminhante a 8 de Junho de 2011 às 11:25
Vou acompanhar esse teatro que nos apareceu
vindo de si.

Gostei e vou estar atento!

C.

De M.Luísa Adães a 8 de Junho de 2011 às 15:35
Agradeço,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 8 de Junho de 2011 às 14:43
:) Lindo! Temos Teatro na blogosfera!:)
Estou a entusiasmar-me, acredita! Qualquer dia - se ainda der tempo... - , escrevo uma peçazita também... mas eu não tenho a menor das práticas, no que diz respeito ao teatro, sabes? Teria de começar do nada e não sei se alguma vez seria um trabalho a sério, com esse encanto que tu lhe conferes... bem, a ver vamos! Se um dia der, deu! :)
Um enorme abraço!
De M.Luísa Adães a 8 de Junho de 2011 às 15:56
Tu sabes escrever de tudo - basta a tua vontade, sensibilidade e saber!

Eu nada percebo de Teatro! Apenas tenho a
tal sensibilidade de escrever o que sinto...

Este Teatro foi-me pedido há um ano, por um artista de cartoons. Talvez tenha sido estranho...qual o intuito? Não sei!

Resolvi publicar e depois levo ao google para "Marcar Presença",

pois os versos são meus e as imagens
pertencem à Net. Tudo legal!

Mas a minha intuição pode não estar correta!
E gostava de me enganar, sinceramente!

Se me enganar, ele publica no blogs dele com
desenhos de cartoons e os meus poemas levam o meu nome e o nome do meu blogs.

Sabes, passou um ano, com algumas promessas, originadas pelos meus emails e minhas perguntas. Aguardei e nada se concretizou...

Resolvi trazer ao cimo para serem vistas, por visitantes e outros.

Espero que seja a minha imaginação a trair-me.

Um beijo e obrigada,

Maria Luísa
De poetaporkedeusker a 8 de Junho de 2011 às 17:14
Não sei o que possa dizer-te, amiga... a minha intuição também já me pregou imensas partidas desde que estou na net... quando o meio era o da vida real, nunca falhava mas , agora, as variáveis aumentam inimaginavelmente e nós tendemos a sentir-nos inferiorizadas pela nossa pequenez enquanto seres humanos pioneiros destes novos mundos virtuais... eu optei por não me deixar aborrecer por isso, sob pena de perder o pouco juízo que vou tendo :)) Mas eu nada tenho a perder, amiga... nunca tenho um tostão comigo e só tenho seis animais a dependerem e a precisarem de mim... agora é mesmo dar tudo por tudo, dar o meu melhor até ao fim, esperando que ele não seja mau de todo e, um dia, possa vir a alargar os horizontes de alguém. É tudo o que agora eu quero... mas é claro que é terrível pensar que tudo o que eu faço está preso por "arames virtuais2 que se podem partir a qualquer instante... eu compreendo-te, mas tu tens mais mobilidade do que eu e vais ver que tudo te vai correr bem!
Enorme abraço!
De M.Luísa Adães a 8 de Junho de 2011 às 19:08
Vou esquecer! Os versos são meus!

Beijos,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 13 de Junho de 2011 às 12:31
Claro que são teus! Acredito que vais ter forma de o provar... mais; acredito que não vás ter problemas com essa tua nova publicação!
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 13 de Junho de 2011 às 18:23
Olá, Mª. João

O pc sem ti deixa de ter canto e encanto!

Levei hoje, aos 7degraus, o 1º verso dos Gatos.
Parece que gostam e ali tem outro aspeto.

Neste blogs, repara, já está o 2º. verso dos
gatos, do narrador e de meu amor.

Talvez gostes!

Abraço,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 8 de Junho de 2011 às 21:15

pensava pra mim
às vezes ao visitar esse teu mundo
"estará melhor
pior ?"

afastam-se nuvens de mau agoiro
de um segundo pensado

aleluia num mais dia encontrado...


por onde andaste tu ?

perdeste as eleições
dos sebentos aldrabões...hé hé hé

tambem pouco foi....

beijinhos Luisa
a melhor das noites feliz
De M.Luísa Adães a 9 de Junho de 2011 às 08:48
João

O pc foi um pavor! O google faz transformações constantes e muitas pessoas ficam à deriva. Umas sem blogs, outras não podem comentar (deixam de ter acesso aos pc
dos chamadoa amigos) e ao mesmo tempo, deixam de receber comentários.
Eu escrevi para eles, mas não é fácil encontrar o lugar certo para escrever.
Nos últimos tempos tem exigido um esforço
constante e uma luta.

Pessoas se despediram até um dia...e eu me ausentei à procura do "Inverno do nosso descontentamento"...

O sapo está em decadência pelo Facebook e
o Google pela inexperiência e falta de senso
de quem o comanda em Portugal.

Que fazer? Eu noto diferença nos comments
que recebo e nos que recebia...
Sei de pessoas que foram aos 7degraus e não
conseguiram entrar!

E eu para voltar a comentar foi uma senhora espanhola que me ensinou de forma clara e
simples como o fazer, mas estou dependente
da próxima mudança (com esta, são 4 no espaço de 1 mês).

Agradeço e louvo teus versos aos meus versos,
tua amizade e perseverança.

Não estive nas eleições, pois o país vai ser governado por três elementos estranhos e o
governo sempre gastou muito mais do que o que tinha, em proveito deles e dos muitos amigos a viver da falsa politica.

Estes versos têm continuação - são meus, é
evidente, mas têm uma história longa que
não dá (agora) para contar.

Um beijo e abraço forte,

Mª. luísa
De jabeiteslp a 9 de Junho de 2011 às 20:30
mudanças em nome das modernices
que chateiam as mais sinceras
digamos
atmosferas
e ficamos sem ar
pois é um pouco da nossa alma...

feliz do regresso
há que adaptar-se aos sebentos
digo eu...

feliz fim de semana
uma joca do tamanho do Universo
cá dos calhaus
De M.Luísa Adães a 10 de Junho de 2011 às 10:36
Ficamos sem ar e sem País

Mas havemos de regressar

Só não sei se estou por cá

Talvez tenha de ir embora

E não chegue a ver nada!...

Tanto tempo vai demorar!

Maria luísa
De jabeiteslp a 11 de Junho de 2011 às 14:03

pois
e gosto desse teu humor

acreditemos
4 anos é muito tempo

beijinhos Luisa
e um maravilhoso fim de semana
De M.Luísa Adães a 11 de Junho de 2011 às 14:39
Quatro anos?

É um espanto! Eu não sei se vivo mais um minuto, nem tu sabes, nem ninguém sabe, nem os politicos sabem, nem os ricos, nem os pobres, os com saúde, os sem saúde.

Quatro anos pode acabar com tudo
Um segundo pode fazer o mesmo...

E isto é verdade, até os burros (animais) sabem e eu tenho amor e consideração pelos
burros (animais).

O dia está bonito, aqui em lisboa e qualquer dia quando menos se esperar, vou embora e
qualquer um de nós, pode fazer o mesmo!

Fim de semana feliz,

Mª. luísa
De jabeiteslp a 11 de Junho de 2011 às 22:33

vamos ver
o que sabem fazer
duvido que nada... mas proto

o povo é quem mais....

beijinhos Luisa
De M.Luísa Adães a 12 de Junho de 2011 às 09:46
Amigo

O Povo é quem menos ordena, quem mais sofre e se torna cada vez mais limitado no espaço em que vive - até ficar sem espaço -
e isso já acontece às multidões que fogem às
guerras e à fome - e o mundo é de Todos e não apenas de alguns...

As ditaduras, antes de o serem, são democracias e é da democracia que nasce a
ditadura.
O melhor torna-se o pior - o poder é viciante!
Correto?

Maria luísa
De Luis a 9 de Junho de 2011 às 18:37
Gosto de animais e o primeiro ato está escrito
de uma forma muito bonita.
Espero o 2º.

Luís
De M.Luísa Adães a 10 de Junho de 2011 às 10:55
Então espera um pouco mais!

Mª. Luísa
De jpcfilho a 9 de Junho de 2011 às 21:28
Querida Maria Luísa, "e todo o Universo se queda em silêncio, em cada personagem, elevada na noite imóvel, Ama¨"...
Isso é realmente poesia , e das melhores, lindo, lindo.
Querida amiga, estou a muito tempo resolvendo problemas familiares e tenho viajado muito, por isso não tenho visitado meus velhos e queridos amigos. Mas logo estarei de volta.
Adorei teu poema, e logo voltarei para ler os que deixei de ler.
Todos os beijos
saudades
João Costa filho
De M.Luísa Adães a 10 de Junho de 2011 às 10:17
Adorei encontrar-te, desde a última vez que
ouvi tua voz no nosso Brasil.

Estou em Portugal e este poema de gatos, vai
ter continuação.
Os trouxe primeiro a este pequeno recanto,
para amigos escolhidos e depois...os vou levar ao google.

Linda tua presença e teu belo comentário.

Te espero sempre! Um abraço,

Maria Luísa
De jabeiteslp a 11 de Junho de 2011 às 13:59
um belo e repousado fim de semana
regenerador em todas as formas de amor...



jocas ra ti
De M.Luísa Adães a 11 de Junho de 2011 às 14:27
Obrigada amigo

O mesmo para ti!

Abraço,

Mª. luísa
De jabeiteslp a 11 de Junho de 2011 às 14:00
JOCAS PRA TI....

assim é que è....
De M.Luísa Adães a 11 de Junho de 2011 às 14:29
Boa Imagem,

jocas amigo.

Mª. Luísa
De Vítor a 24 de Fevereiro de 2013 às 16:58
Não gostei, queria que tivesse teatros narrativos, sem peosia clássica...

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001