Terça-feira, 10 de Maio de 2011

A Ilha

 

 

A Ilha é frondosa, bela

De flores matizadas únicas

O sol brilha por entre velas,

Ilumina o mar.

 

Flores tropicais

Vestidas de mil cores, mostrando beleza

O mar azul-turquesa canta esbelto e belo.

 

O calor assusta, deprime o caminhante...

 

Um caminho estreito e vago

Onde o verde predomina e brilha

E eu desço ao penedo

Onde o homem morto pesca

Sem saber o que pesca.

 

Acerco-me dele, não fala,

Apenas olha em frente

E eu sinto solidão

Misturada na Ilha Bela.

 

Ele ignora minha presença

num fundo negro ausente

De um silêncio horizontal presente.

 

O dançarino é o Mar

E o homem, o espectro da dor

Do céu, terra, flores

E de mim, que sou humana.

 

 

 

Publicado no http://os7degraus.blogspot.com

 

por Maria luísa Adães

 

 

 

Oferta ao blogs : http://os7degraus.blogspot.com

 

10 de Maio de 2011

publicado por M.Luísa Adães às 15:26
link do post | comentar | favorito
|
28 comentários:
De rosamari a 10 de Maio de 2011 às 17:46
hayyy, que me gustaria estar en esta isla!
De M.Luísa Adães a 10 de Maio de 2011 às 19:04
Rosamari

Que bom seria estar neste Ilha.

Quando estive no Brasil, onde vou muitas vezes (tenho um filho em São Paulo), passei
uns dias nessa Ilha de sonho.
Depois e como costume meu, a ficcionei como uma tarde a senti...
Foi em Janeiro de 2011.

Grata e feliz por te encontrar,

Beijos para ti e nosso gatito lindo

Maria Luísa
De rosamari a 16 de Maio de 2011 às 11:06
si sería fantástico, además es una isla de paz y tranquilidad !
De M.Luísa Adães a 16 de Maio de 2011 às 11:18
rosamari

Si seria fantástico - Ilha de paz y tranquilidad!

Te seguirei, sólo hay que cambiar una dirección, seguirei ahi contigo...

"Unidos por los sentimientos en la distancia"

Gracias, un beso,

Mª. Luísa
De caminhante a 10 de Maio de 2011 às 19:18
Belas férias nesse país de encanto.

Ricos e pobres não se misturam...mas será apenas lá? Não o creio...

Mas a Ilha é um poema que traduz beleza e
tristeza.

Gostei!

C.
De M.Luísa Adães a 11 de Maio de 2011 às 08:14
Caminhante

Que teus passos calcoreando caminhos de
mistério, te levem a esta Ilha e fiques lá, por
breves ou grandes instantes.

Mª. Luísa
De rosamari a 10 de Maio de 2011 às 23:36
pues si amiga, sería maravilloso !!
De M.Luísa Adães a 11 de Maio de 2011 às 08:25
rosamari

Dá-me a tua mão
Traz teu gatito
E eu te levo a essa Ilha
Onde podes nadar,
Rir, brincar, correr,

Esquecida do mundo!

O mistério é diáfano,
As palavras são imóveis
Tudo é espaço e tempo
E o mistério entra desdobrado
Maior do que o silêncio
De corações vencidos...

Eu te levo à Ilha,
Descansamos em cima das palavras
E o adeus cai no nosso mar...

Deixa-o ficar,
Não há adeus!...

E nada é urgente!

Um beijo para os dois,

Maria luísa
De rosamari a 15 de Maio de 2011 às 11:21
que lindo detalle, amiga,
migatito y yo, te damos las gracias y un beso muy grande
De M.Luísa Adães a 15 de Maio de 2011 às 18:39
Que bom, você gostou...

Gracias y un beso grande para ti e to gatito.

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 11 de Maio de 2011 às 09:25


serás uma flor
de exótico caris
e perfume só teu...

e esse mar salgado
sem tino nem freio
sem parar
destriça no seu ás vezes feio

é mar
é afogar...


um bom dia Luisa
De M.Luísa Adães a 11 de Maio de 2011 às 09:48
Jabei

Foi bom te encontrar!

Este mar tantas vezes cantado,
é como tu dizes :

É mar
É afogar
É morte!

Eis uma grande verdade!

Quanto aos primeiros versos
e também aos últimos,
Amei!
Deves continuar...

Obrigada,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 11 de Maio de 2011 às 11:05

um belo e feliz dia pra ti

beijinhos
e viva a poesia
De M.Luísa Adães a 11 de Maio de 2011 às 18:14
olá poeta e homem sensível e "viva a poesia".

Agora te digo :

no exame que fiz aos intestinos, não o poderam concluir, pois eu estava meia-anestesiada e não aguentei as dores.

Não sei se tenho de repetir. Vou para um
médico de gastro...

Mas a preparação do dito é de morrer e eu
ontem já ia morrendo.

Abraço,

Mª. L.
De jabeiteslp a 11 de Maio de 2011 às 20:41

morrenos um pouco
a cada momento

mas não será o caso em ti de tempo
acredito na ciencia
um pequeno contratempo...

sei que que nos põe assim
revirados num fim
mas não...

acredito que não

beijinhos Luisa
a mais bela noite pra ti...
De M.Luísa Adães a 12 de Maio de 2011 às 08:49
Jabei

Temos formas diferentes de acreditar!
Gosto do mar, mas temo a sua ira!

Obrigada,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 12 de Maio de 2011 às 20:34
não fui marinheiro
talvez por isso não lhe tenha respeito
mas
já me tentou no seu jeito...

não conseguiu...

beijinhos e feliz noite de bem apertado
ao teu amado...


De M.Luísa Adães a 13 de Maio de 2011 às 12:02
Olá amigo

Não és marinheiro? Eu sou e filha de marinheiro. Amo a beleza do mar, mas o temo muito...não sei respirar se me afundar.

Mas sei nadar...E temo o mar - que fique bem assente esse pormenor!

Não sou suicida e sabes? Gosto da vida! Demais
eu gosto!

Um beijo e vou saír.

Maria luísa
De jabeiteslp a 14 de Maio de 2011 às 08:06

boas compras
bom passeio
se for o caso disso

r frliz fim de semana Luisa

jocas dos calhaus
De M.Luísa Adães a 14 de Maio de 2011 às 12:44
Jocas e mais os calhaus

Vou aproveitar a sugestão

Bom fim de semana! Um beijo, Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 12 de Maio de 2011 às 12:37
A minha memória não falha, no que toca a bons poemas! Estava a lê-lo e a lembrar-me de já o ter lido quando vi a tua nota final, a dizer que estava publicado no 7degraus! Tenho uma memória estranha... de umas coisas não me lembro nada - nomes, caras, datas... - e de outras não me esqueço nunca! :)
Tu vais recuperar do choque e da dor que o exame te provocou! É muito natural que te queiram fazer outro mas, desta vez, faz com anestesia total! Vão deixar passar uns meses e repetem, de certeza. Quando fazemos estas cirurgias abdominais, corremos alguns riscos e já se sabe que os intestinos não ficam tão bem "assentes" como estavam... mas vais ver que não é nada de grave!
Tenho de ir almoçar! Já está na hora! Bjo!
De M.Luísa Adães a 12 de Maio de 2011 às 13:55
Mª. João
Obrigada amiga pelo teu cuidado.

Veio " A Ilha" porque a adorei e me lembro muito dela.

Mas queres saber uma coisa? Estou triste, estranhamente triste...

Não me entendem e me querem mudar, mas
é impossível me mudarem, me tornarem diferente...impossível pois eu não o posso fazer
como não posso mudar o meu organismo fisico
e também não posso mudar a minha parte
psiquica.

Talvez vá morrer e pressinta isso...não sei!

O facebook traduz felicidade por todos os poros.

Todos são felizes - parece um mundo de gente alucinada, histérica, estupida, sem nexo...
Odeio!...

Mas conheço inúmeras pessoas que lá estão a dizer parvoíces, uns aos outros.

Até família e amigos (pretensos amigos) estão
lá metidos a dizer baboseiras.

Será que estou mentalmente apanhada?
Ou os apanhados são eles?...

O google durante a manhã tinha um erro e não dava acesso a nada.
Agora, voltou ao normal! Por tempo ínfimo...

Isto acontece por duas vezes, num espaço mínimo.
Eu ainda não tenho um ano de estar aqui de forma assidua. Será que tem sido sempre assim? Não sei, mas me desagrada.

E tudo isto vai direto ao meu sistema nervoso,
já alterado há muito, por razões más e sérias.

Porque me prendi à vida desta forma? Porquê
Senhor Jesus, se não tenho razões para isso?

Me apanhaste numa altura muito má, mas
desabafei um pouco e talvez tenha ficado mais leve...

Que raio, a vida não presta e me agarrei a ela como se fosse o melhor que me podem dar!
Que estupidez a minha.

Mª. L.

De poetaporkedeusker a 12 de Maio de 2011 às 15:06
Amiga... então? Somos seres vivos e é naturalíssimo que nos sintamos "agarrados" à vida! Ainda bem que assim é! Se a vida nos foi dada, é para que a vivamos dando o nosso melhor, usufruindo os bons momentos e defendendo-nos, conforme pudermos, dos menos bons. Tudo isso é humano e muitíssimo natural. Estás hipersensível porque esse exame é mesmo muito doloroso, mas vais melhorar! Nunca te esqueças disso! O que te leva a dizer que pressentes a morte? Vais ver que é por estares muito fragilizada pelos momentos difíceis que viveste! Claro que todos nós sabemos que não seremos eternos nesta forma, pelo menos... mas a tua voz estava tão firme quando te ouvi! Isso vai passar e hão-de vir momentos em que te voltas a sentir mais alegre e segura de ti!
Queres a minha opinião em relação ao facebook? Também não morro de amores por esse formato apressado que nos não deixa tempo para reflectir sobre o que acabámos de ler... mas repara que é muito interessante do ponto de vista da comunicação, em geral! Podemos sempre distanciar-nos e analisar as coisas sob um ponto de vista mais abrangente... eu acredito que o Face tem coisas muito boas e muito más... mas o que é que o não tem? De qualquer forma, é inevitável! Ninguém o vai fazer parar e ainda é uma aplicação muito jovem e cheia de falhas... acredito que, mais tarde ou mais cedo, o ser humano vai utilizá-la mais criteriosamente... tudo precisa de amadurecer!
Já há grupos de poetas e escritores a fazerem, no Face, coisas muito interessantes, apesar de eu ter uma inegável predilecção pelos blogs... :)
A vida continua, amiga, e tudo está em contínua mudança... essa mudança - natural em todas as coisas vivas e até nas não vivas - pode sofrer períodos de grande instabilidade mas acaba sempre por acalmar um pouco. Tudo isto é Vida, amiga, e vai-me fascinando inevitavelmente porque eu quero sempre entendê-la o melhor que puder... mas também sei que quando estou mais doente e com mais dores, me é quase impossível aceitar as coisas com esta fleuma... mas já me conheço! :)) Sei que, quando melhorar, as coisas me parecem muito mais naturais e pertinentes. Vais ver que também é assim contigo!
Um enorme abraço e desabafa sempre que sentires essa necessidade! A mim faz-me um bem incalculável!
De M.Luísa Adães a 12 de Maio de 2011 às 19:33
Lindo o que me dizes com ponderação, inteligência e bom senso.

Até te digo uma coisa...o facebook, na minha opinião, vai ser o futuro!

Eles estão metidos em tudo e em todo o mundo.
Politica também... e gente com muito dinheiro.
Tens toda a razão no que dizes. Obrigada e desculpa.

Um beijo grande,

Mª. Luísa
De MC a 12 de Maio de 2011 às 14:32
Conheço o poema "A Ilha" dos 7degraus...
mas me encanta a encontrar de novo neste
recanto, onde não a conhecem.

Faça o mesmo com outros poemas!

Um abraço longo e forte,

MC

De M.Luísa Adães a 12 de Maio de 2011 às 19:35
MC

Agradeço suas palavras e talvez faça o que me
diz!

Um abraço,

M.L.
De MIGUXA a 13 de Maio de 2011 às 00:02
Minha Amiga,

Outro belo poema, onde o pano de fundo é o mar e as suas envolvências.
Nostálgico mas poderoso.

Adorei!

Beijos ternos
Margarida
De M.Luísa Adães a 13 de Maio de 2011 às 10:41
É uma Ilha tropical e deslumbrante, no Brasil
a 200k de São Paulo, pertence à cidade de São Sebastião,
onde num catamarã o carro entra e o barco
nos leva à Ilha.

Estive em janeiro deste ano (2011) nesse local
e num lugar deserto, onde fui ter ao mar, longe do bulicio, encontrei esse homem morto que pescava, como se fosse vivo e não estava, mas ele não sabia...

E escrevi o poema, mas ele nem olhou para mim!

É a maior ilha do Brasil e de uma beleza
sufocante...tão bela que não deixa respirar.

E sinto saudades daquele tempo tão próximo
de mim e tão longe, na distância que nos separa.

Escreve-me, conta-me de teus anseios e dúvidas e te vais sentir tão próximo de mim,
como se fossemos levadas até á minha Ilha...

Este blogs é intimista e eu nele me sinto livre
e me sinto bem.Tenho alguns amigos que me
comentam e outros desabafam seu estado de ânimo. Certezas, incertezas, sofrimentos e
tudo quanto sintam de momento.

Só eu os leio! Não tenho convidados, amigos
adicionados - nada e desse nada eu escrevo o
que me apetece e gosto. Este blogs, é o meu Paraíso na Net.

Passam muitos visitantes incógnitos e meia dúzia de bons amigos.

É como se escrevesse apenas para mim, mas
gosto de companhia, isso eu gosto e muito!

Um beijo,

Mª. Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001