Sábado, 18 de Setembro de 2010

Clarice Lispector

  

Nascida a 10 de Dezembro de 1920 em Chechelnyk, Ucrânia, chega a Maceió, Estado de Alagoas, com 2 anos de idade.

Passa parte da infância na cidade do Recife.

 

 

Romancista, contista, cronista e jornalista da Escola/Modernismo.

 

Morre a 9 de Dezembro de 1977 no Rio de Janeiro,RJ com a nacionalidade brasileira.

 

Em artigo publicado no jornal The New York Times em 11/3/2005

a escritora foi descrita como o equivalente a Kafka na literatura Latino-Americana.

 

 

Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas...

Continuarei a escrever.

 

Clarice Lispector

 

Gostei de te encontrar Clarice e de falar de ti...

Tão pouco eu disse, mas tu disseste tudo

e eu fiquei sem palavras!

 

 

Maria Luísa

  

 

publicado por M.Luísa Adães às 16:05
link do post | comentar | favorito
|
35 comentários:
De Caminhante a 18 de Setembro de 2010 às 18:06
Uma vez mais me encantas, com as escolhas que fazes.
Tão cheia de dinamismo, morre tão nova de doença trágica - cancro.

Não falaste dela como se tivesse morrido!
Fizeste bem! Ela não gostaria, que o fizésses !

Mas foi um encanto encontrá-la, neste pequeno recanto.

Caminho pelas estradas
De M.Luísa Adães a 19 de Setembro de 2010 às 08:12
Não falei da morte.
Não falei do fim
e o dela foi inesperado e inoperável, mas ela nunca o soube!

Obrigada,

M.L.
De jabeiteslp a 18 de Setembro de 2010 às 18:09
beleza de frase
e é bom dar a conhecer
ou falar
eterniza-se a memória
na grandeza de ser...

feliz noite Luisa
beijinhos


De M.Luísa Adães a 19 de Setembro de 2010 às 08:16
Jabei

Estamos numa espécie de semi-despedida e
isso é mau.

Clarice lispector é muito falada na Net e eu
interesseime por ela!

Agradeço teu bonito comments.

Beijos e obrigada,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 19 de Setembro de 2010 às 13:48

é puro prazer de assim ser
um dar e receber
faz-nos mais
seremos sempre um amanhecer

sempre que a aurora existir...

beijinhos e feliz domingo
até sexta
De M.Luísa Adães a 20 de Setembro de 2010 às 11:26
Obrigada pelo comments, em puro verso.

"Não se preocupe em entender,
viver ultrapassa qualquer entendimento".

Clarice Lispector
De lucio a 19 de Setembro de 2010 às 09:06
Pertence ao Modernismo.

Gregory Rabassa foi o tradutor para o Inglês
de Clarice, Jorge Amado; Gabriel Garcia Marquez e outros.

"Renda-se como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei."

Clarice Lispector

Parabéns por a colocar neste recanto. Ela
dizia" que sua força estava na solidão".

lucio
De M.Luísa Adães a 19 de Setembro de 2010 às 09:53
Obrigada pela homenagem que faz a Clarice e a mim, que me lembrei dela.

Mª. Luísa
De Ceres a 19 de Setembro de 2010 às 09:11
Gostei de encontrar Clarice Lispector neste
recanto, quase isolado do mundo virtual.
Sem pompas, nem barulhos, apanas solidão.

Que descanse em Paz!

C.
De M.Luísa Adães a 19 de Setembro de 2010 às 09:57
Gosro deste recanto pela solodão que dele emana e Clarice também disse:

"Minha força está na solidão"...

A conduzi, à minha solidão!

Mª. Luísa
De a 19 de Setembro de 2010 às 18:44
Mª Luisa,
Bela escolha. Pouco conheço de Clarisse Lispector, mas o que conheço demontra uma pessoa sensivel e inteligente.

"A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade"

Ela era ssim, dizia tanto em poucas palavras.

Beijinhos
De M.Luísa Adães a 20 de Setembro de 2010 às 11:38


Feliz fiquei por a encontrar neste recanto de
efémera, Liberdade, mas alguma existe.

Mas Clarisse Lispector como disse, nasceu na Ucrânia e era de origem judia.
Foi das maiores escritoras do chamado Modernismo/
Futurismo em Portugal. A naturalizaram
brasileira e é um grande nome , no Brasil e no Mundo.


"Não se preocupe em entender,
viver ultrapassa qualquer entendimento."

Clarice Lispector

Beijos para todos e obrigada
De FatimaSoares a 19 de Setembro de 2010 às 19:00
Vim deixar um beijinho e desejar boa semana. è uma escritora que aprecio imenso. Tudo de bom minha amiga.
De M.Luísa Adães a 20 de Setembro de 2010 às 18:56
Agradeço, Fátima, todo o carinho.

Mª. Luísa
De Cesar a 20 de Setembro de 2010 às 15:50
Linda homenagem!

Pequena para quem foi tão grande, mas se traduz na forma como a aprecia e todos aqueles de quem tem escrito.

Interessante a mudança que fez neste blogs
e como se tornou importante para si e seus
amigos. Foi uma forma de não abandonar o
blogs principal do sapo.

Cesar
De M.Luísa Adães a 20 de Setembro de 2010 às 16:26

Agradeço!

Mª. Luísa
De Caminho pelas Estradas a 26 de Setembro de 2010 às 09:53
Muito interessante a lembrança que se tornou
em homenagem a Clarice Lispector.

Como foi possível ela morrer, assim tão mal
e sem saber.

Logo de início se sabia que o cancro não era operável. Ela não sabia!...

Carreira fulgurante, numa mulher que foi
comparada a Kafka.
O Brasil a aceitou e a terra que a viu nascer
talvez nem a conheça. Não sei!

Caminhante

De M.Luísa Adães a 26 de Setembro de 2010 às 09:55
Agradeço o apoio ao que escrevo neste pequeno

recanto, a figuras Maiores.

Mª. Luísa
De Dulce a 26 de Setembro de 2010 às 12:35
"Perder-se também é caminho".

E na realidade até é verdade!E só agora soube!

Thanks Clarice,

Dulce
De M.Luísa Adães a 26 de Setembro de 2010 às 12:38
Até ao perder-se, se encontra o caminho.

Isto nos diz que até nas coisas piores a acontecer, nos podemos encontrar e
evoluir.

M. L.
De poetaporkedeusker a 27 de Setembro de 2010 às 14:47
Para a maioria dos artistas, a força está mesmo na solidão, amiga. A criação sempre foi um trabalho solitário. Não falo de produtividade, falo de Criação.
Um abraço grande!
De M.Luísa Adães a 27 de Setembro de 2010 às 16:35
Mª. joão

diz-me a diferença, no teu conceito, entre:

criação e produtividade.

O poeta quando cria, não está ao mesmo tempo, produzindo?

Outra coisa, tenho uns escritos sobre a Arrábida, no sapo. ~Há um comments com
um vídeo que gostava que visses.

Tenho indicações no final do poema, em que faço referência ao video que me enviaram.

É uma coisa atroz feita numa ilha da Dinamarca.

Beijos e obrigada, por Clarice Lispector.

M. L.
De poetaporkedeusker a 27 de Setembro de 2010 às 17:46
Fácil, amiga; Criação implica produtividade, mas produtividade não implica necessariamente Criação. A criação é um conceito que abrange, entre outros, o conceito de produtividade.
Estás melhor da tua coluna? Eu estou bastante pior de tudo, mas ainda consegui escrever... pensei que fosse impossível porque estou mesmo cheia de dores.
Vou tentar ir ao Google.
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 28 de Setembro de 2010 às 09:32
Criação implica produtividade,

Produtividade não implica criação.

Produtividade implica vários conceitos.

Criação se debruça apenas, p´lo que está a ser criado.

Entendido e obrigada,

Mª. Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001