Terça-feira, 13 de Julho de 2010

O COSMOS e Fernando Pessoa

 

O COSMOS  /                             

 

 

Resumo de uma carta a Adolfo Casais Monteiro, 13/Janº.1935.  

 

Coloquei no Caeiro todo o meu poder de despersonalização

dramática.

 

Em Ricardo Reis toda a minha disciplina mental, vestida de música.

 

No Álvaro de Campos toda a emoção que não dou nem a mim

nem à vida.

 

Mas todo eles têm que ser, na prática, preteridos por Fernando Pessoa, impuro e simples!

 

Fixou em moldes de realidade, conheceu amizades ouviu, dentro dele, discussões e divergências e criou tudo independente dele.

 

Quanto ao Ocultismo - escreveu. Creio em mundos superiores, em experiência diversas

na espiritualidade subtilizando até chegar a um Ente Supremo.

E disse... Há três caminhos para o oculto,

 

"Caminho mágico, Caminho místico, Caminho alquímico.

 

E o mais perfeito, que não tem perigos, mas incerto e lento, o Caminho Místico.

 

Reparei na carta escrita pelo poeta, fiz um ligeiro resumo, sem estar à altura de o fazer,

do muito em que ele acreditava, estudava, traduzia.

Traduziu de C. W. Leadbeater "A CLARIVIDÊNCIA"  Clairvoyance do original inglês, editada pela Editora Pensamento - São Paulo- Brasil.

 

Foi um poeta interessado nas Verdades Ocultas e foi o maior, do Século XX.

 

Maria Luísa

publicado por M.Luísa Adães às 11:28
link do post | comentar | favorito
|
38 comentários:
De FatimaSoares a 13 de Julho de 2010 às 12:25
Olá Maria Luísa! Fernando Pessoa no seu melhor e um escritor que adoro. Bonito post. Um beijinho com amizade e as melhoras.
De M.Luísa Adães a 13 de Julho de 2010 às 13:01
Fátima

Adorei encontrar-te! Parece que adivinhaste.

Este blogs é intimista e só os amigos aqui vêm
e eu me sinto livre de agradar a este e ao outro. Escrevo para mim...
Acontece que alguns amigos aqui chegam, mais do que esperava.
E tu chegaste...

Agradeço,

Maria Luísa
De jabeiteslp a 13 de Julho de 2010 às 13:58

e se razão existir
oculta-se-me o olhar em tanto cego
felizes de o ser...

olá
uma bela tarde
um sorriso mais
e um gelado de sabores tais...

pois o Pessoa e a quadrilha


como vai o joelho ?
e como vais tu ?

jocas
De M.Luísa Adães a 13 de Julho de 2010 às 18:18
F. Pessoa não morreu e ele acreditava na sobrevivência e sabia muito sobre o assunto.

Eu o conheço e gosto dele - muito!

Este blogs é uma maravilha. Escrevo o que quero e alguns amigos até gostam.

Eu estou menos entrapada e a abusar, como se nota.
E espero mais 8 dias para saber, se é alguma situação em que tenha de ser operada.

Pede a Deus que essa ideia, não!

A prece de um não crente, mas sem as mentiras de alguns crentes, é ouvida com mais facilidade por Deus.

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 13 de Julho de 2010 às 21:24

gostei dessa

"menos entrapada e a abusar"

que assim é que é
e acredito que não será coisa para
o faquista...

uma bela noite para ti
beijinhos
De M.Luísa Adães a 14 de Julho de 2010 às 10:07
Anjo

Obrigada pela esperança de não sei necessário

o faquista.

Bom Dia, para ti e família.

M. Luísa
De jabeiteslp a 14 de Julho de 2010 às 15:53

era uma metáfora
e acredito que não

há-ja coração
e esperança

xoxos fofos

De M.Luísa Adães a 14 de Julho de 2010 às 18:54
Joca

Venha essa esperança forte, de não ser necessário.

Beijos,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 14 de Julho de 2010 às 20:54
a melhor das noites

De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2010 às 16:01
J.

Obrigada amigo, pelo desejo de uma boa noite e pela Flor.

M.L.
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2010 às 15:58
J.

O vídeo é muito bom e misterioso, com a música dos chineses.
Eles dos tachos, panelas, garfos, fazem música e mistério.

Minha irmã e sobrinha (médica) já estiveram na China, Tailândia, Macau e Hong Kong, mais do que uma vez.
Meu pai (Marinha de guerra portuguesa)
esteve três anos entre Macau e Hong Kong,
quando se deu a "Grande Marcha" de Mao Tse
tsung, eu ainda não tinha nascido.

Isto a propósito do teu vídeo - gostei!

Fernando Pessoa na "Ode à Noite" disse:

"Ao Oriente bramãnico, síntoista,
Ao Oriente que eu nunca verei"...

E na realidade não viu, mas falava dele (Oriente) como um sonho que sabia não alcançar e gostaria de ter alcançado.

Esta tua amiga é um espanto! Sou eu, refiro-me a mim!

Obrigada pelo vídeo e fica bastante bem neste post, dedicado a Pessoa.

Bºs. M. L.
De jabeiteslp a 15 de Julho de 2010 às 21:28
mas existe ainda
por um lapso de tempo
que nem o Mao conseguiu definir o momento

e ao ouvir tal musical
é um reflectido som do sentido
a alma

e universal...

xoxos Luisa

tal como tu
serei musico do tempo
enquanto os acordes fizerem ressonancia
magnética....


De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2010 às 12:39
Joca

Tu hoje estás todo poético - muito me apraz essa forma de dizer.

Tal como eu,
Poeta do tempo...

Tu és o músico,
desse mesmo tempo...

O meu Tempo
O teu Tempo!

Lindo,amigo, lindo,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 16 de Julho de 2010 às 14:11
existem pessoas
que estimulam certos estados...

uma tarde toda fofa
como tu...

sabes que tenho família por esses lados ?
os Benqueridos
espalharam-se pelo mundo...

xoxos
De M.Luísa Adães a 17 de Julho de 2010 às 10:45
Joca

Não sabia que tens familia por estes lados.

Verdade, os nossos queridos se espalham.

E mais... pessoas como eu, te fazem ser poeta!

Xoxos (como tu dizes)

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 17 de Julho de 2010 às 16:42

De M.Luísa Adães a 17 de Julho de 2010 às 18:55
joca

Para mim e Fernando Pessoa, umas lindas
flores.

Boa tarde amigo,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 19 de Julho de 2010 às 14:35

só para ti
pois na quadrilha do saber

poucos sabem o que é...

uma feliz tarde
xoxo fofo

De M.Luísa Adães a 19 de Julho de 2010 às 15:35
Joca

Obrigada por tudo quanto for para mim;

eu te ofereço, um pouco para ti!

Há egoísmo? talvez não. Tudo aqui é simples e

com amizade.

beijo grande da amiga virtual,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 20 de Julho de 2010 às 18:18

as melhoras pra ti

boas férias

beijinhos

De M.Luísa Adães a 20 de Julho de 2010 às 18:34
Amigo,

Não vou de férias. Estou doente e preciso de
me tratar. Mas eu te escrevo sempre que possa

Para a próxima semana é que não me parece possível, pois metade da casa, só metade, vai
para obras.
Vai ser outro desastre, desta vez, cheio de
barafunda e confusão.
Se fosse possível, fugia, mas não posso!

beijo grande,

Mª. Luísa

p.s, quando colocares, alguma coisa de novo no teu blogs, manda dizer.tu mereces!

De jabeiteslp a 20 de Julho de 2010 às 18:44
eu brincava

e sei como te sentirás

beijinhos
De M.Luísa Adães a 20 de Julho de 2010 às 19:13
E eu a pensar que falavas a sério.

Mas é bom brincar, traz o lado positivo da vida.

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 20 de Julho de 2010 às 19:18

De M.Luísa Adães a 21 de Julho de 2010 às 09:19
É manhã,

ainda não estou cansada e vim encontrar
uma linda flor azul.
Adorei!

Bom Dia , friend forever!

Thanks,

Mª. Luísa
De jabeiteslp a 21 de Julho de 2010 às 14:56

temos da urze flores
de todas as cores
e a azul
é rara de encontrar

é a minha preferida dos céus e alturas

xoxos
De M.Luísa Adães a 21 de Julho de 2010 às 15:18
J.

Então a urze tem flores de muitas cores.

A azul a mais rara e difícil de encontrar.

Muito me ensinas.

Já que aqui estou, se possível, vai aos Deuses
que plantei hoje nestes prémios.
Foi oferecido, analisado, resumido ao máximo,
por mim.

E tu quando apareces, é como se chamasses os outros, sem chamar.

Bºs. M. Luísa
De Rosinda a 13 de Julho de 2010 às 14:14
Fernando Pessoa é sem dúvida um dos grandes poetas Portugueses.
Saudações e melhoras da sua saúde.
De M.Luísa Adães a 13 de Julho de 2010 às 18:20
Rosinda

Obrigada por aparecer no meu verdadeiro recanto. Aqui sou livre!

Beijos da amiga,

Mª. Luísa
De poetaporkedeusker a 13 de Julho de 2010 às 15:11
Conheço perfeitamente essas cartas, amiga! E no prefácio do pequeno livro em que Casais Monteiro transformou essas cartas,e alguns poemas dos seus heterónimos, há uma espécie de apelo dele em relação à interpretação das palavras de Pessoa. Não sei de cor, mas aqui vai:
"... todo o que de boa vontade e de mente aberta ler estas cartas , deverá entender que os heterónimos são, para Pessoa, mais uma forma de Criação".
Amanhã ou depois trago-te as palavras exactas!
Abraço grande!
De M.Luísa Adães a 13 de Julho de 2010 às 18:21
Mª. João

Fico a aguardar.
Por hoje só posso agradecer.
Estou muito cansada!

Aguardo!

M.L.
De poetaporkedeusker a 14 de Julho de 2010 às 15:34
Não fui para o hospital sem rever as palavras do Casais Monteiro... vê lá tu! Eu costumo ser tão, tão desmemoriada e, desta vez, não me esqueci!
Vou passar a transcrever: " ... ai! Não acredito! Desculpa mas não apago nada! Eu estive a reler a introdução do ACM, e iria jurar que tinha guardado o livro na mala!!! Mas não, afinal sou ainda mais palerma do que pensava. Lembrei-me de ir verificar mas acabei por me esquecer de o trazer... trago amanhã, se Deus quiser! Desculpa-me esta introdução mas pensava mesmo, mesmo que tinha trazido o livro!
De M.Luísa Adães a 14 de Julho de 2010 às 15:59
Agradeço todo o teu cuidado.
Quando possível vai ao google.
há um artista de cartonns que gostou de mim.

Criou um selo para mim com dois gatos e pediu um poema alusivo.
Vai e vê se gostas.
No sapo tanto tempo a escrever "Futurismo"
(ou uma espécie disso) e nunca passou dos comments do costume.

Alguns muito bons (é certo) outros de boa vontade.
Entretanto terminou, ou fui eu que terminei.

Vou ao médico da tiróide, daqui por instantes.

Não posso responder mais1

M. L.
De severino a 14 de Julho de 2010 às 23:46
D.M. Luisa Adães
Afinal acabo de encontrar duas embaixatrises da Poesia,em diálogo sobre Fernando Pessoa e seus heterónimos, a D.M.Luisa Adães e a D.Maria João (Poetakedeusker), que maravilha! ...venham de lá mais noticias sobre essas pesquisas.
Sou apreciador da obra de Fernando Pessoa, acabei de ler ontem "O Eu Profundo e Os Outros Eus",... que desconcerto tão cheio de sentido. Gostei!
Votos de Boas melhoras, D.Maria Luisa
Cordiais Saudações
J/severino
De M.Luísa Adães a 15 de Julho de 2010 às 12:42
Severino

Grata e feliz por o encontrar. Mª. João - poeta,
é muito minha amiga e eu dela, embora sejamos diferente no tipo de poemas que escrevemos.

Não somos todos iguais e isso foi uma benesse que Deus nos deu, naquela Sabedoria Transcendental.

Quanto a F. Pessoa é um resumo minimo, feito
por mim, na carta a AdolfoCasais Monteiro.

Tudo quanto digo é real!

E acrescento um pouco mais, para o Severino.

Em 1912 escreveu numa penumbra de seu ser, uns poemas e aí percebeu que tinha nascido "Ricardo Reis".

Mais tarde brincando com "Sá-Carneiro", inventou um poeta bucólico complicado e no dia "em que o pressentiu" começo a escrever, de pé, como escrevia sempre que podia.
Escreveu numa espécie de êxtase cuja natureza não conseguiu definir,
e se deu o aparecimento de alguém nele a quem chamou "Alberto Caeiro".

E depois vieram os discipulos e surge um oposto a Ricardo Reis, na "Ode Triunfal"
de" Álvaro de Campos".

Criou uma coterie inexistente em moldes de realidade e lhe pareceu tudo independente dele. E assim lhe pareceu ser durante toda a sua vida.

ele via
diante dele, no espaço incolor mas real do sonho, as caras, os gestos de Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos.
Construi-lhes as idades e as vidas.

Aí tem, escrito por um poeta e resumido de forma poética, bem poética, pois dele só é possível escrever assim ,
um pouco mais dos heterónimos, que são os amigos inexistentes de Pessoa, ou o próprio Pessoa em paralelo, com o outro Pessoa.

Para si em especial,

Maria Luísa
De MIGUXA a 16 de Julho de 2010 às 00:19
Maria Luísa,

Pessoa é especial...
Adorei a tua selecção!!!

Espero continues a recuperar.

Beijos com ternura
Margarida
De M.Luísa Adães a 16 de Julho de 2010 às 12:53
miguxa

Que saudades eu tenho tuas ,
Do meu dizer
E do teu silêncio,
Feito do teu dizer.

Adorei encontrar-te junto com Fernando Pessoa que eu sempre (de miúda) adorei e
adoro.

Te encontrei na minha "Solidão" no google e
respondi à tua "Solidão"...

Este blogs foi feito para os prémios e aos poucos
se tornou intimista, para mim e meus amigos.
Dá-me uma liberdade que não tenho nos outros. Nem sei explicar o porquê!
Mas gosto dele!Muito...

Tenho no google uma oferta em selo de um artista de cartoon e ele me pediu uns versos, relativos ao conteúdo. "Dois Gatos" é o nome
do poema que escrevi.
Está muito engraçado! Quando possível, te espero!

Com saudade, agradeço

Mª. Luísa

Comentar post

relojes web gratis

Familia Maldonado /Brasão

24. Setembro .2001